Geral

Moradores onde condômina tentou atirar em Síndica se reúnem essa noite

Os moradores do Condomínio Eudes Costa se reúnem na noite desta segunda-feira (23) para discutir mais uma vez os vários problemas registrados no local. Em síntese, os condôminos criticam principalmente as atitudes da síndica, que não estaria solucionando os problemas dos moradores e ainda não estaria prestando contas do condomínio. Lembrando que na sexta-feira (20), […]

Arquivo Publicado em 23/01/2012, às 21h48

None

Os moradores do Condomínio Eudes Costa se reúnem na noite desta segunda-feira (23) para discutir mais uma vez os vários problemas registrados no local. Em síntese, os condôminos criticam principalmente as atitudes da síndica, que não estaria solucionando os problemas dos moradores e ainda não estaria prestando contas do condomínio.

Lembrando que na sexta-feira (20), Francisca Leite, de 60 anos, moradora do local, segundo a polícia, tentou atirar contra a síndica Francisca de Assis Santos, 65 anos. Francisca Leite acabou sendo detida em flagrante, e de acordo com moradores, estaria saindo hoje da 1ª Delegacia de Polícia.

Entenda melhor a confusão

O desentendimento das “Franciscas” (a síndica e a condômina) se arrasta por mais de uma década e quase acabou em tragédia na última reunião dos 560 moradores do Eudes Costa, na Rua Abrão Júlio Rahe.

Francisca Francinete Leite, 60 anos, relatou que há 28 anos é dona de um imóvel no local. “Também tenho uma barraca de cachorro quente há 18 anos no condomínio. Antes, tinha o outro síndico e ele manteve um contrato de locação comigo por seis anos. Quando a Francisca se tornou síndica, há 12 anos, perguntei a ela como ficaria o meu caso e ela respondeu que não iria me cobrar nada, já que eu tinha família e vendia o lanche a R$ 1. Mas ela sempre humilhava as pessoas em volta, a cabeleireira ela dizia que catava piolho e cuidava de chulé e a mim outras ameaças, então eu estava cansada e só queria dar um susto nela”, afirmou Francisca Leite.

Muito arrependida do crime, ela contou que o momento de fúria na reunião do prédio, em que ela sacou a arma da bolsa, foi quando a síndica a mandou calar a boca. “Ela falou que iria me cobrar judicialmente pelo aluguel atrasado do trailer e eu falei que a notificação deveria ser para todos que devem. Agora, a dívida chega a R$ 65 mil e eu não tenho como pagar por isso”, disse.

De acordo com o delegado Fábio Sampaio, a briga de ambas se agravou após a justiça mover uma ação de bloqueio da conta poupança e um veículo da suspeita. “A partir daí as ameaças pioraram. A suspeita levou uma arma calibre 32 e munições na bolsa. Ela disse que não tinha intenção de matar, mas se esse caso não chegasse à polícia, provavelmente acabaria em morte. Neste ano, inclusive, a própria síndica já tinha registrado um boletim de ameaça contra a Francisca Leite, explicou o delegado.

O delegado revelou ainda que o caso será encaminhado à justiça. “A polícia não cabe decretar fiança e sim ao judiciário, que vai julgar o caso. O marido da suspeita e um condômino que a estavam escondendo da polícia também foram indiciados por favorecimento pessoal. Ela estava escondida embaixo de um guarda-roupa, com a intenção de se apresentar depois, mas foi presa em flagrante”, finalizou o delegado.

Jornal Midiamax