Geral

Ministro: “espero que não se faça uso eleitoral do mensalão”

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse esperar que o julgamento de José Dirceu e José Genoino como réus no processo do mensalão não seja usado para uso eleitoral. Segundo o ministro, a criminalização da política “desmobiliza a consciência política”. “Não vou falar desse tema (julgamento do mensalão), vamos esperar. Só […]

Arquivo Publicado em 09/10/2012, às 01h19

None

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse esperar que o julgamento de José Dirceu e José Genoino como réus no processo do mensalão não seja usado para uso eleitoral. Segundo o ministro, a criminalização da política “desmobiliza a consciência política”. “Não vou falar desse tema (julgamento do mensalão), vamos esperar. Só espero que não se faça uso eleitoral desse caso”, disse o ministro.

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma amanhã o julgamento que analisa a atuação do chamado núcleo político do esquema. No momento, o placar é de três votos a um pela condenação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino por corrupção ativa.

“Toda vez que você criminaliza a política e acha que ganha com isso, você leva a um processo de desmobilização da consciência política”, analisou o ministro. Para Gilberto, “táticas destrutivas têm se mostrado pouco eficientes”.

O ministro ponderou que houve algum impacto a “superexposição” do julgamento no primeiro turno das eleições, mas disse que é difícil quantificar os efeitos. “É muito difícil agora ter opinião formada sobre isso. Cidades do interior, mais conservadoras, e teve seu efeito nas capitais também”.

Gilberto Carvalho comemorou, mais cedo, o fato de o PT ter crescido nas eleições municipais mesmo “sob saraivada do mensalão”. O balanço oficial da legenda foi apresentado em coletiva nesta tarde pelo presidente nacional, Rui Falcão.

Jornal Midiamax