Geral

Ministro diz que Brasil vai pedir novo interlocutor da Fifa

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, rebateu hoje (3) as declarações do secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, de que o Brasil está muito atrasado com relação às obras destinadas para receber a Copa do Mundo de 2014 e que precisaria receber um “pontapé no traseiro” para acelerá-las. Valcke , que esteve […]

Arquivo Publicado em 03/03/2012, às 14h43

None

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, rebateu hoje (3) as declarações do secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, de que o Brasil está muito atrasado com relação às obras destinadas para receber a Copa do Mundo de 2014 e que precisaria receber um “pontapé no traseiro” para acelerá-las. Valcke , que esteve ontem (2) na Inglaterra para a reunião anual do Conselho Legislador da Fifa, também fez duras críticas à Lei Geral da Copa que tramita na Câmara dos Deputados.

Classificando os comentários feitos de Valcke como “impertinentes e descabidos”, o ministro disse que vai conversar com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, para pedir um novo interlocutor da entidade para dialogar com o governo, já que Valcke, segundo ele, não será mais recebido no país.

Durante entrevista coletiva concedida na manhã de hoje em um hotel de São Paulo, o ministro disse que “o governo não aceitará mais o secretário-geral como interlocutor nesses assuntos da Fifa”. Para o ministro, o governo brasileiro não pode dialogar com um interlocutor que “emite declarações descuidadas e intempestivas”.

Segundo Rebelo, a maior parte das obras dos estádios brasileiros para a Copa do Mundo está seguindo o cronograma previsto. As únicas obras que estão um pouco mais atrasadas com relação ao cronograma, de acordo com o ministro, são as dos estádios de Cuiabá, Manaus, Recife e do Rio de Janeiro. “Já as obras de mobilidade urbana, do total de 51 [obras previstas para serem realizadas], a previsão continua sendo a de entregar pelo menos 42 em 2013”.

Rebelo reforçou que não há razão para que o Brasil não receba a Copa do Mundo. “O Brasil tem hoje a infraestrutura, a logística e a capacidade de realizar um evento dessa natureza”, disse.

Jornal Midiamax