Geral

Menina fica cinco dias internada na Santa Casa após estupro durante Carnaval na Capital

De acordo com a delegada da DEPCA o acusado pelo crime, de 21 anos, foi preso nesta terça-feira (28) no bairro Indubrasil.

Arquivo Publicado em 29/02/2012, às 17h22

None

De acordo com a delegada da DEPCA o acusado pelo crime, de 21 anos, foi preso nesta terça-feira (28) no bairro Indubrasil.

Uma menina de 12 anos ficou internada por cinco dias na Santa Casa de Campo Grande após ter sido estuprada na segunda-feira de Carnaval (21). De acordo com a delegada da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Regina Mota, o acusado pelo crime, de 21 anos, foi preso nesta terça-feira (28) no bairro Indubrasil.


A delegada relatou que a mãe da menina registrou um boletim de ocorrência informando que a menor tinha saído de casa no domingo (20), por volta das 16h30, e não teria voltado até a manhã do dia seguinte, quando ligou para a mãe contando que estava na casa do acusado.


Ela contou que a filha estava dopada e muito machucada, sendo levada para a Santa Casa para uma microcirurgia de reconstrução de períneo, prova da violência do estupro praticado.


Os colegas da menor, quatro adolescentes, relataram que a menina esteve na casa de um deles, que ofereceu cerveja e vodka com energético para a menor. Ela passou mal e desmaiou, quando eles tentaram acordá-la, colocando-a embaixo do chuveiro.


Ao ver que ela não acordava e que os pais do adolescente iam chegar, eles levaram a menina em um carrinho de mão para a casa do jovem de 21 anos, que teria abusado da menina durante a noite.


Adolescentes


De acordo com os depoimentos, a delegada Regina Mota acredita que somente o rapaz maior de idade violentou a menina. Porém, ela continua a ouvir testemunhas para apurar como os menores de idade conseguiram comprar as bebidas alcoólicas.


Durante a tarde desta quarta-feira (29), a menina, que já toma o coquetel anti-aids, fez teste para verificar se está com HIV.


O jovem que estuprou a menina alegou à polícia que ela consentiu a prática do ato sexual. Para a delegada, pelas gravidades da lesão, ele foi preso por estupro de vulnerável.

Jornal Midiamax