Geral

Mato Grosso do Sul recebe projeto piloto de aeronave para transporte pelo SUS

Mato Grosso do Sul vai ser o primeiro do país a receber a aeronave do SUS e projeto servirá de modelo para os outros Estados

Arquivo Publicado em 31/07/2012, às 11h02

None

Mato Grosso do Sul vai ser o primeiro do país a receber a aeronave do SUS e projeto servirá de modelo para os outros Estados

Mato Grosso do Sul é o Estado que vai estrear o projeto piloto Samu Aeromédico. A informação é do juiz auxiliar da corregedoria do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), Marlos Augusto Melek. O magistrado é o presidente da comissão executiva do programa Espaço Livre Aeroportos e esteve em Campo Grande, no início do mês de julho. A aeronave é um projeto do SUS (Sistema Único de Saúde) e vai funcionar linkado com a central de leitos e com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

De acordo com Melek, a aeronave está sendo doada para transportar pessoas humildes que precisam de tratamento pela rede pública. “O avião bimotor, modelo Baron, tem como objetivo atuar de forma inédita, pioneira, em um serviço que era disponibilizado somente pelas grandes empresas de saúde como Golden Cross, Unimed e Amil. O Samu Aeromédico é um projeto fantástico que vai transportar pessoas humildes que se utilizam do SUS, para voar para tratamento pela rede pública de saúde”, afirmou.

Questionado sobre como será a classificação para uso, o juiz explicou que a decisão de quais passageiros devem ser transportados ficará a cargo da central de leitos do SUS. O magistrado declarou que no dia 25 de agosto o Samu Aeromédico estará em pleno funcionamento.

“No dia 25 de Agosto começa a funcionar, já está definido. O dinheiro já está na conta; o Ministério da Saúde liberou R$ 500 mil para o avião começar a voar. A aeronave já foi entregue há seis meses e a UTI já está pronta. O que falta, e está sendo feito nesse momento, são as adaptações necessárias para acoplar a UTI nesse avião”, explicou.

Aeromédico também vai trabalhar para otimizar transporte de órgãos

Melek disse ainda, com exclusividade, que junto com o atendimento aos pacientes, o avião também fará transporte de órgãos. Ele classificou como “fantástico” o projeto que está sendo realizado no Estado. Segundo ele até os pilotos já estão preparados e a aeronave é ótima – testada pelo próprio, o qual contou já ter voado nela como passageiro.

“Como o bimotor é uma excelente aeronave, que chega a 400km/hora, também vai ser utilizada para transportar um coração, um fígado, rim ou córnea, como forma de reduzir a taxa de perda que hoje no Brasil é de 37%. O que o CNJ está fazendo, juntamente com Governo do Estado, Anac, Infraero, policias, bombeiros, é criar uma capilaridade, uma organização”, concluiu.

Jornal Midiamax