Geral

Massa de ar frio e seco mantém umidade do ar baixa em Mato Grosso do Sul

Previsão é de chuva a partir desta quarta na região sul do Estado. Médico recomenda cuidados específicos para esta época do ano

Arquivo Publicado em 24/07/2012, às 13h45

None

Previsão é de chuva a partir desta quarta na região sul do Estado. Médico recomenda cuidados específicos para esta época do ano

Após 18 dias sem chuvas, Campo Grande pode receber a influência de uma frente fria nesta quinta-feira, com registro de chuvas. De acordo com a meteorologista Kátia Braga, uma frente fria e de fraca intensidade pode atingir Mato Grosso do Sul a partir de amanhã, provocando chuvas na região sul e oeste do Estado.

Na região sul, as temperaturas devem ter mínima de 18°, e máximas de 27°.

Para a meteorologista, na quinta-feira, 24, a Capital pode registrar chuvas isoladas, com concentrações de até 10 milímetros no período da manhã, provocando intenso nevoeiro.

Apesar da frente fria, Kátia explica que as temperaturas não devem voltar a baixar tanto como na última semana. “Existe a possibilidade de frentes fracas para esse ano e a sensação térmica pode ficar mais baixa que as do ano passado”. Conforme a meteorologista, o inverno nesta região é caracterizado por sistemas de alta pressão, com temperaturas elevadas e umidade relativa do ar baixa. Essa combinação resulta no tempo seco característico do inverno no MS.

Por enquanto não há previsão de aumento da umidade no Estado para as próximas semanas.

Previsão do tempo

A terça-feira (24) em Mato Grosso do Sul deve ter predomínio de sol e sem chuva em todo estado, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O tempo também deve continuar seco em praticamente todo estado, principalmente na região norte.

A umidade relativa do ar fica por volta dos 25% a 30%, considerado estado de atenção pelo CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos).

Em Campo Grande os termômetros devem marcar 17ºC como mínima pela manhã, e 29°C como máxima no período da tarde.

Cuidados

Os problemas respiratórios são os que mais aparecem nessa época. Com ele, aumentam as consultas em postos de saúde e hospitais.

De acordo com o otorrinolaringologista Edil Albuquerque Júnior, a procura por tratamento decorrente às doenças causadas pela queda na temperatura e baixa umidade nesta época do ano aumenta cerca de 40%. “Quem sofre mais são as crianças e idosos. A população deve fazer uso de umidificadores de ar principalmente em ambientes que utilizem ar-condicionado, que deve ser evitado”, recomenda o especialista que explica ainda que, caso não seja possível possuir um umidificador, é importante umidecer os ambientes da casa com toalhas molhadas e bacias com água nos cômodos.

Uma recomendação importante que o médico faz é para que as pessoas utilizem soros fisiológicos para umedecer o nariz e colírios para o ressecamento dos olhos. A ingestão líquidos, também é importante para se manter saudável e disposto nessas condições climáticas.

Jornal Midiamax