Geral

Marinha mantém tradição da Regata de Canoinhas no rio Paraguai

Como parte das comemorações pelo Dia do Marinheiro, celebrado no próximo dia 13, o 6º Distrito Naval realizou neste sábado, 08 de dezembro, a 19ª edição da Regata de Canoinhas de Corumbá. A competição teve 64 inscritos e foi dividida em duas baterias. As primeiras a largarem do cais do Porto Geral foram as mulheres. […]

Arquivo Publicado em 08/12/2012, às 16h02

None
1788385666.bmp

Como parte das comemorações pelo Dia do Marinheiro, celebrado no próximo dia 13, o 6º Distrito Naval realizou neste sábado, 08 de dezembro, a 19ª edição da Regata de Canoinhas de Corumbá. A competição teve 64 inscritos e foi dividida em duas baterias. As primeiras a largarem do cais do Porto Geral foram as mulheres.


Após aproximadamente 15 minutos, a primeira a descer o rio, dar a volta no farol e retornar para a Prainha foi Marilza de Lima, de 47 anos. “Toda vez eu ganho. É a prática. Sou pescadora desde que nasci”, comemorou a moradora do bairro Cervejaria, que venceu sem muitas dificuldades.


“A parte mais difícil foi o Farol. Ali dá um frio na barriga, a correnteza é muito forte”, descreveu. A segunda colocada foi Maria Divina de Lima, 49, irmã de Marilza. “Ela ganha e eu sempre fico em segundo. Aí fica tudo em família”, brincou a pescadora profissional, uma das competidoras que nunca deixou de participar da regata.


“Uma vez eu ganhei e ela ficou em segundo, mas isso não é o mais importante. Venho porque gosto de ver a alegria dos marinheiros”, completou. Jaqueline do Espírito Santo, 30 anos, ficou em terceiro e também comemorou bastante. “Eu sempre ficava em quarto. Nesse ano eu subi um lugar”, comentou.


Entre os homens a vitória ficou com João de Oliveira Miranda, de 39 anos. “Essa é a 12ª vez que fico em primeiro”, afirmou o guia turístico. Nascido e criado na beira do rio Paraguai, ele conhece bem o trecho da prova. “A parte de descida é fácil. Virar o Farol que é difícil. Ali não adianta querer remar de pé porque a correnteza te leva lá pra baixo”, contou.


Absoluto nos últimos anos da regata, João lembra que nem sempre foi tão fácil vencer o rio e os adversários. Da primeira vez que disputei fui eliminado porque zinguei aqui perto da Prainha. Nas duas depois, eu afundei o barco, consegui recuperar, mas não venci. Depois que peguei o jeito, não perdi mais”, completou o guia.


O segundo colocado entre os homens foi Inácio Rodrigues. Natalino da Silva Rondon ficou em terceiro. Os três primeiros colocados de cada bateria receberam medalhas e cestas básicas, que variavam de tamanho conforme a posição de chegada do competidor. Os prêmios foram entregues pelo comandante do 6º Distrito Naval, contra-almirante Rodolfo Frederico Dibo.


“É uma alegria para a Marinha do Brasil poder manter a tradição da Regata de Canoinhas. Parabéns aos vencedores e a todos que participaram dessa competição característica da região pantaneira”, afirmou o comandante.


Outros eventos


As comemorações da Semana da Marinha continuam neste domingo, com a Corrida Rústica. A largada está prevista para 08h, em frente ao pórtico do 6° Distrito Naval. No mesmo dia, entre 09h e 14 horas, acontecerá visitação pública às instalações, navios e helicópteros da Marinha, gincana de artes e exposição de material na sede da Marinha de Ladário. Ainda no domingo, a partir das 18h, no Porto Geral, haverá demonstração de Operações Ribeirinhas no Pantanal.


No dia 13 de dezembro, acontece a cerimônia militar do Dia do Marinheiro, em frente ao prédio do Comando do 6° Distrito Naval. Nessa cerimônia, haverá a imposição da Medalha “Mérito Tamandaré”, que se destina a homenagear as autoridades que tenham prestado relevantes serviços na divulgação ou no fortalecimento das tradições da Marinha do Brasil.


As celebrações do Dia do Marinheiro terminam na sexta-feira, 14 de dezembro, com a cerimônia de “Troca da Guarda”, concerto musical, premiação da gincana de artes, inauguração da iluminação de natal seguido de um grande show pirotécnico em Ladário, a partir das 19 horas.

Jornal Midiamax