Geral

Lula segue em tratamento e passa por 4ª sessão de radioterapia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou por volta das 10h30 desta segunda-feira no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para realizar a quarta sessão de radioterapia. Desde final de outubro do ano passado, Lula luta contra um câncer diagnosticado em sua laringe.De acordo com a assessoria de Lula, após o final das sessões de […]

Arquivo Publicado em 09/01/2012, às 18h55

None

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou por volta das 10h30 desta segunda-feira no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para realizar a quarta sessão de radioterapia. Desde final de outubro do ano passado, Lula luta contra um câncer diagnosticado em sua laringe.

De acordo com a assessoria de Lula, após o final das sessões de radioterapia, ele deve passar por uma avaliação de um fonoaudiólogo e um dentista, a fim de detectar possíveis sequelas. Também está prevista hidratação através de aplicações de soro.

Desde outubro, Lula passou por três sessões de quimioterapia. Nessa segunda fase do tratamento, ele deverá voltar ao hospital todos os dias, menos aos sábados e domingos, para realizar um total de 30 a 35 sessões de radioterapia. Paulo Okamoto, presidente do Instituto Cidadania, criado por Lula, não descartou a possibilidade de alugar um flat na região durante o tratamento. “Inicialmente, ele virá (de São Bernardo do Campo, a 33 km de São Paulo) todos os dias. Estamos pensando em outras alternativas, caso o trânsito fique muito ruim. Por enquanto, está tranquilo.”

Após a primeira sessão de radioterapia de Lula, realizada na quarta-feira passada, Okamoto afirmou que o ex-presidente “reagiu bem ao tratamento e tudo correu dentro da normalidade prevista pelo médicos”. Nesse tratamento, o paciente recebe a radiação sobre o local do tumor e áreas próximas. O objetivo é eliminar os resíduos do tumor que, ao ser diagnosticado, tinha 3 cm.

O câncer de Lula


Após queixa de dores de garganta, Lula realizou uma série de exames na noite de 28 de outubro. Na manhã do dia seguinte, foi divulgado boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, informando que foi diagnosticado um tumor maligno na laringe, que seria inicialmente tratado por quimioterapia.

O câncer na região da laringe é mais comum entre homens e o de maior incidência na região da cabeça e pescoço. Os principais fatores que potencializam a doença são o tabagismo e o consumo de álcool. Já os sintomas são: dor de garganta, rouquidão, dificuldade de engolir, sensação de “caroço” na garganta e falta de ar.

Jornal Midiamax