Geral

Lombada eletrônica registra velocidade irreal em Dourados

Lombadas eletrônicas com defeito estão confundindo motoristas em Dourados. Enquanto algumas delas estão ligadas, mas sem funcionamento, outra, localizada na Avenida Joaquim Teixeira Alves está registrando a velocidade acima do real. O motorista que passa até 30 quilômetros por hora no local (velocidade máxima) verifica que a lombada registra uma velocidade irreal de 70 até […]

Arquivo Publicado em 05/09/2012, às 14h02

None
1427144828.jpg

Lombadas eletrônicas com defeito estão confundindo motoristas em Dourados. Enquanto algumas delas estão ligadas, mas sem funcionamento, outra, localizada na Avenida Joaquim Teixeira Alves está registrando a velocidade acima do real.


O motorista que passa até 30 quilômetros por hora no local (velocidade máxima) verifica que a lombada registra uma velocidade irreal de 70 até 90 quilômetros por hora, o que seria motivo para gerar multas.


Preocupados, motoristas contataram a reportagem. “Espero que não venha multa. Diante tantos impostos que pagamos e não temos o retorno, mais essa, e ainda sem estar errado, já é de mais”, disse o comerciante João Dias, que segundo ele passou a 25 por hora, mas a lombada marcou 78.


Essa não é a primeira vez que a lombada aos fundos do terminal rodoviário apresenta o mesmo problema. Em outros pontos da cidade, os equipamentos nem sempre funcionam, a exemplo do aparelho instalado na Mozart calheiros, no Água Boa, bem como a que fica ao lado do cemitério, na rua Coronel Ponciano.


Aparecido Dias Duarte, gerente do Detran em Dourados, diz que a lombada com defeito não emitirá notificação. “Se eventualmente alguém for notificado neste período poderá entrar em contato com o Detran de Dourados para suspender a penalidade”, disse ele.


No entanto, se o condutor passar a uma velocidade acima de 30km ele será multado. “O visor mostra uma velocidade irreal, porque está com defeito, agora a velocidade correta é medida pelo sensor localizado no asfalto. Esse sim, se detectar abuso irá gerar a multa”, reitera Aparecido.


O solo frágil e úmido naquela região, segundo ele, favorece a lombada apresentar defeito, devido a vibração ser maior. “A empresa responsável pela manutenção irá consertar novamente, porém o problema pode voltar a repetir”, finalizou.

Jornal Midiamax