Geral

Lojas do centro anunciam promoções para retomar público que perderam para shoppings

Para enfrentar a concorrência acirradas dos shoppings e vendas pela internet, lojistas do centro se uniram para tocar campanha em datas comemorativas

Arquivo Publicado em 25/04/2012, às 13h32

None

Para enfrentar a concorrência acirradas dos shoppings e vendas pela internet, lojistas do centro se uniram para tocar campanha em datas comemorativas

Empresários das lojas do centro, anunciaram hoje pela manhã, o lançamento da campanha “no centro custa menos”. O objetivo é aumentar o faturamento desses comerciantes que tem enfrentado grande concorrência com a abertura de novos empreendimentos e shoppings. A idéia partiu de um grupo de 60 lojistas e terá inicio no dia 03 de maio, aproveitando a data comemorativa do dia das mães, com ofertas, promoções e concurso cultural.

De acordo com o primeiro secretário da ACICG( Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), Roberto Oshiro, os lojistas procuraram a associação, reivindicando a retomada do centro comercial. Com disso, foi designada uma equipe de marketing para criar um programa continuado, no sentido de reativar o comercio central. “Como a solicitação foi o quanto antes, daremos início já no dia das mães. Até o momento 45 lojistas já aderiram, mas esperamos que esse número aumente gradativamente”, declarou Oshiro.

Para a coordenadora de marketing da Anita Calçados, Vera Lacerda, é sempre bem vinda uma campanha como essa, que agrega e traz benefícios para todos. O empresário Vilma r Vendramin, destacou que o mais importante é a mobilização dos lojistas e o apoio da Associação, “o que não acontecia há anos”. Já André Eduardo Moretto, explicou que na verdade não há que se falar em aumento do faturamento, mas sim em recuperação financeira, devido ao período de baixa que o comércio vem enfrentando desde o inicio do ano.

O presidente da Associação Comercial, Omar Aukar, enfatizou que a união é mais do que necessária, porque com o aumento das vendas pela internet e a abertura de novos empreendimentos e shoppings, a concorrência tem aumentado vertiginosamente. “Quem não se organizar não tem mais espaço nesse mercado”, afirmou. Omar fez questão de ponderar ainda que os comerciantes do centro tem a vantagem de que o custo das lojas é muito mais barato que nos shoppings, o que faz com que seja possível vender com preços mais baixos.

Jornal Midiamax