Geral

Jovem virgem é estuprada em hotel de luxo em Três Lagoas

Uma adolescente de 17 anos foi estuprada em um hotel de luxo de Três Lagoas, a 330 kms de Campo Grande, na madrugada desse domingo (22), depois de participar de uma festa no bairro Nova Três Lagoas. Segundo as informações policiais, a jovem estaria em uma festa e havia ingerido grande quantidade de bebida alcoólica […]

Arquivo Publicado em 23/01/2012, às 18h45

None

Uma adolescente de 17 anos foi estuprada em um hotel de luxo de Três Lagoas, a 330 kms de Campo Grande, na madrugada desse domingo (22), depois de participar de uma festa no bairro Nova Três Lagoas.

Segundo as informações policiais, a jovem estaria em uma festa e havia ingerido grande quantidade de bebida alcoólica e, após discutir com seu irmão, ambos resolveram ir embora. Enquanto caminhavam para retornarem para casa, o casal de irmãos foi abordado por duas pessoas que estavam em um veículo e a jovem resolveu entrar no carro.

O motorista do veículo disse à adolescente que estava hospedado em um hotel de luxo, e se dirigiu até o local, onde o trio conseguiu entrar após burlar a fiscalização. A vítima estaria escondida na carroceria de um veículo Fiat Fiorino. Depois de entrarem, o motorista deixou o passageiro e a garota no quarto e disse que iria até um posto de combustíveis, para tomar cerveja.

Depois que o motorista saiu, o passageiro acabou estuprando a garota. Em seguida, eles a abandonaram no bairro Ipacaraí, por volta das 08h de domingo (22). A adolescente conseguiu comunicar o fato à família, que acionou a Polícia Militar.

No domingo pela tarde, a jovem fez exame de corpo de delito, onde ficou comprovado o estupro. A garota seria virgem.

A polícia conseguiu localizar e prender os acusados do estupro. E.L.S, 29 anos, casado, pai de três filhos e motorista do carro; e V.H, de 18 anos, o passageiro do carro e autor do estupro. Ambos foram autuados em flagrante pelo delegado Rogério Market Faria e estão na carceragem do 1º DP à disposição da justiça.

Eles foram indiciados por estupro de vulnerável, com pena que varia de 12 a 24 anos de prisão. Mesmo não sendo autor do estupro, E.L.S foi indiciado como co-autor, pois ele emprestou o quarto, deu carona para a adolescente e ainda tinha conhecimento do fato depois de consumado.

O Conselho Tutelar foi acionado para realizar os procedimentos de apoio necessário à vítima.

Jornal Midiamax