Geral

Jovem é morto com um tiro na cabeça em conveniência no Jardim Centenário

Uelison Aparecido Moreira Candia, 18 anos, foi preso em flagrante na noite de ontem, por volta das 20h30, após matar com um tiro na cabeça Diego da Silva Santa Roza, 21 anos, atrás do balcão de uma conveniência localizada na Rua Santa Quitéria, bairro Jardim Centenário. Segundo a delegada Marília de Brito Martins, plantonista da […]

Arquivo Publicado em 07/01/2012, às 14h10

None
712775945.jpg

Uelison Aparecido Moreira Candia, 18 anos, foi preso em flagrante na noite de ontem, por volta das 20h30, após matar com um tiro na cabeça Diego da Silva Santa Roza, 21 anos, atrás do balcão de uma conveniência localizada na Rua Santa Quitéria, bairro Jardim Centenário. Segundo a delegada Marília de Brito Martins, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) Piratininga, a discussão começou após a vítima cobrar uma dívida de R$ 30, referente a um capacete.


“Após a briga, Uelison foi buscar a arma e alvejou a cabeça do Diego, que morreu na hora. Em depoimento, ele alega que foi agredido na frente da namorada e se irritou com o fato, por isso cometeu o crime”, afirma a delegada. Uelison está preso provisoriamente na Depac Piratininga e será indiciado por homicídio qualificado pelo uso de arma de fogo.


Na conveniência onde ocorreu o crime, a proprietária Maria de Lourdes Bandeira, 52 anos, conta que ainda está muito assustada com o assassinato. “Nunca vi algo assim diante dos meus olhos. Sei que a região está perigosa, mas nunca vi um corpo cair diante de mim, com o sangue escorrendo pelos meus pés. Agora penso em deixar aqui com grades o dia inteiro”, afirma a dona do local.


Pouco antes do crime, Maria afirma que o ambiente estava muito calmo. “Tinha um casal com uma criança tomando cerveja lá fora, mais algumas pessoas aqui dentro e chegou o Diego, a irmã e o cunhado de carro aqui. Eles estavam lá fora e “do nada” entrou uma moça para comprar um refrigerante e disse que estava acontecendo uma briga do lado de fora. Foi o tempo de eu pegar a criança do meu cliente e correr para o balcão. O Diego veio na minha direção e, em seguida, friamente, Uelison alvejou e matou ele”, conta Maria de Lourdes.


Sem falar uma palavra, Uelisson foi preso. “Ele sempre vinha na conveniência e fumava droga aqui na calçada. Quando eu pedia para ele sair, me dizia que estava na rua e que a droga logo será liberada. Este local anda muito violento e aproveitei a oportunidade para pedir mais policiamento na região”, finaliza Maria.

Jornal Midiamax