Geral

Internautas se mobilizam e expõem em site calçadas mal conservadas em Curitiba

Cansado de andar pelas ruas de Curitiba e enfrentar obstáculos diários, o radialista Claudemir Cassarotti, 52, decidiu criar um site para expor imagens de calçadas mal conservadas na capital paranaense. No ar há um ano e meio, o “Minha Calçada” já recebeu mais de 36,7 mil visitantes e é atualizado diariamente pelo próprio radialista e […]

Arquivo Publicado em 24/07/2012, às 17h45

None
361151834.JPG

Cansado de andar pelas ruas de Curitiba e enfrentar obstáculos diários, o radialista Claudemir Cassarotti, 52, decidiu criar um site para expor imagens de calçadas mal conservadas na capital paranaense.


No ar há um ano e meio, o “Minha Calçada” já recebeu mais de 36,7 mil visitantes e é atualizado diariamente pelo próprio radialista e internautas colaboradores que enviam as fotos por e-mail. “A nossa cidade prega para o mundo que somos modelo [de urbanismo], mas a realidade é outra. Não temos uma calçada decente”, afirma.


Segundo Cassarotti, o projeto começou com o intuito de chamar a atenção dos governantes –e também da população curitibana– para o mau estado das calçadas. Após o projeto, o radialista diz já ter notado melhorias, mas acredita que a maioria dos bairros ainda não tem planejamento.


De acordo com a organização Mobilize, que atua no setor de mobilidade urbana sustentável, Curitiba tem 4.600 km de extensão de ruas e 9.200 km de calçadas. Desse total, pouco mais da metade, 5.520 km, são de calçadas pavimentadas –o restante são trechos com mato, valetas e terra. Dados da organização indicam que menos de 2% estão adequados às normas de acessibilidade.


“Eu sempre falo que não adianta ter todos os ônibus com rampas e esquecer que os cadeirantes precisam andar pelas ruas com calçadas em bom estado”, diz Cassarotti.


Segundo a Prefeitura de Curitiba, desde 2006 foram executados 457 km de calçadas, e a previsão para este ano é de mais 95 km. Destes, 50 km serão no Anel Viário, que passa pelo estádio Couto Pereira, Arena da Baixada e Vila Capanema.

Jornal Midiamax