Geral

Inter tira proveito da crise do Figueirense, faz 1 a 0 e vence segunda com Fernandão

A segunda vitória consecutiva do Internacional no Brasileirão finalmente chegou. Nesta quarta-feira, o Colorado aproveitou o momento instável do Figueirense e venceu por 1 a 0 em Florianópolis. Dagoberto, de cabeça, garantiu outro êxito de Fernandão como técnico e frustrou a estreia de Hélio dos Anjos no Orlando Scarpelli. O placar foi construído no primeiro […]

Arquivo Publicado em 25/07/2012, às 23h56

None

A segunda vitória consecutiva do Internacional no Brasileirão finalmente chegou. Nesta quarta-feira, o Colorado aproveitou o momento instável do Figueirense e venceu por 1 a 0 em Florianópolis. Dagoberto, de cabeça, garantiu outro êxito de Fernandão como técnico e frustrou a estreia de Hélio dos Anjos no Orlando Scarpelli.


O placar foi construído no primeiro tempo, quando o Figueirense oscilou e ficou nervoso logo após ter a zaga vazada. Nem mesmo a presença de Hélio dos Anjos na casamata surtiu efeito para quebrar o jejum de 11 rodadas sem vitória.


Com a vitória, o Inter chega aos 22 pontos e encosta de vez no topo da tabela. Os catarinenses seguem com oito, na zona do rebaixamento, e acumulam a sexta derrota no campeonato.


No primeiro tempo, o Figueirense começou em cima. Tentando uma vantagem logo de cara e por pouco ela não se confirmou. Com 2 min, Loco Abreu acertou o travessão após cabecear dentro da pequena área. Mas no fim as investidas ficaram só nisso.


Aos poucos, o Internacional tomou conta do meio-campo. Especialmente pela volta de D’Alessandro. Mesmo sendo marcado com mais força que o normal pelo time catarinense, o argentino não perdeu a linha. Não reclamou. E ajudou o Colorado a abrir o placar.


Aos 24, ele lançou Fred e o garoto cruzou da esquerda. Dentro da área, o goleiro Ricardo ficou no meio do caminho e Dagoberto cabeceou firme. Gol do Inter, que abriu de vez o Figueirense. Atrás no escore, o time de Hélio dos Anjos ficou mais nervoso e exposto.


Antes do intervalo, o Internacional teve outras duas chances para marcar. A mais forte com Jajá, que encheu o pé da intermediária e acertou o travessão. Chutaço. Antes dele o próprio D’Ale tentou surpreender com uma batida colocada.


Na etapa final, o domínio vermelho se manteve por um tempo. Com Dagoberto e Fred perto de marcar outro. Jajá também desperdiçou oportunidade incrível, cara a cara com o goleiro. O Figueirense, por sua vez, apostava na bola parada – com faltas e escanteios, para tentar encontrar o empate.


Já na parte final do jogo, os dois times reduziram o ritmo. O Inter trocava passes procurando um buraco na defesa do Figueirense. E o Figueirense partia no desespero tentando uma pressão milagrosa. Aos 46, os donos da casa pediram pênalti de Fabrício em Roni, mas Elmo Alves Resende Cunha não marcou.


Jornal Midiamax