Geral

Infraestrutura receberá 50% do valor total dos investimentos anunciados por Nelsinho

Durante a apresentação da programação dos 113 de Campo Grande, o prefeito Nelson Trad Filho informou que, dos R$ 200 milhões em investimentos, pouco mais de 50% (R$ 104 milhões) serão direcionados a infraestrutura da cidade. O manejo de águas pluviais nas regiões dos córregos Anhanduí, Cabaça e Areias, a fim de evitar as enchentes […]

Arquivo Publicado em 25/07/2012, às 17h59

None

Durante a apresentação da programação dos 113 de Campo Grande, o prefeito Nelson Trad Filho informou que, dos R$ 200 milhões em investimentos, pouco mais de 50% (R$ 104 milhões) serão direcionados a infraestrutura da cidade.

O manejo de águas pluviais nas regiões dos córregos Anhanduí, Cabaça e Areias, a fim de evitar as enchentes que atingem o bairro Jóquei Clube, foi um dos principais pontos abordados pelo prefeito.

Nelsinho foi enfático ao afirmar que a reforma da Avenida Júlio de Castilho será feita a partir de um empréstimo da prefeitura junto ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), rechaçando qualquer financiamento do governo federal na reforma.

Ele informou ainda que um estudo, contratado para ser executado por uma empresa do Rio de Janeiro, prevê um metrô de superfície a ser construído na Avenida Fábio Zahran quando Campo Grande atingir a marca de 1 milhão e 200 mil habitantes.

Conforme o chefe do executivo municipal, a questão do aterro sanitário deverá ser tratada em um pacote a ser lançado na segunda quinzena de novembro, quando será definido o destino do atual lixão e o funcionamento de uma usina de reciclagem.

Obras

Conforme o plano de obras, 20 praças e 30 academias ao ar livre serão construídas até o final do ano, totalizando um investimento de R$ 16,267 milhões. No dia 22 de setembro, início oficial da primavera, será realizada a entrega da Praça Ary Coelho, com novo paisagismo, calçamento, coreto reformado, fonte luminosa e chafariz.

Na área da educação, será construída mais uma escola e 11 Ceinfs (Centro de Educação Infantil), em um total de aproximadamente R$ 26,157 milhões.

Na saúde e assistência social, serão inaugurados duas Upas (Unidade de Pronto Atendimento), 17 UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) e 1 centro de qualificação. Em um total de R$ 24,140 milhões. Segundo Nelsinho, após as inaugurações, Campo Grande contará com 5 upas, 14 unidades de atendimento 24 horas.

Na habitação, será dada continuidade no PAC 2 do Complexo Segredo, com a construção de mais de 600 casas e investimento de R$ 30,369 milhões.

Centro

O quadrilátero central da cidade (que compreende a área entre a Rua 26 de Agosto e Avenida Mato Grosso e as ruas Calógeras e Pedro Celestino) será totalmente revitalizado. O intuito é tornar o centro atrativo ao comércio para que a população não procure somente os Shopping Centers.

Quanto à antiga rodoviária, terminal Heitor Laburu, Nelsinho informou que 70% do prédio é de propriedade particular. “O custo para desapropriação é inviável. O poder público teria que direcionar de 20 a 30 milhões de reais para revitalização do local”, considerou o prefeito que afirma aguardar empresas privadas para realizar a intervenção necessária para o local.

Sobre o imbróglio a cerca do prédio da Câmara Municipal, o prefeito reforçou que esgotará as negociações dos aluguéis na tentativa de chegar a um acordo com os proprietários do prédio. O prefeito afirma entretanto que a Câmara permanecerá no mesmo local e que requisitará ao auxílio do Ministério Público na negociação.

O diretor-presidente da Agetran, Rudel Trindade Júnior revelou que a reforma de semáforos proporcionará uma melhora no transporte público e na mobilidade urbana. Segundo ele, está prevista, ainda para este ano, a reestruturação dos corredores de ônibus.

Rudel afirmou ainda que os semáforos da avenida Ceará, rua 13 de maio, rua 14 de julho e Rui Barbosa passarão por melhoras. Segundo ele, está prevista a substituição dos semáforos atuais por novos, de Led, que permitirão melhor visibilidade.

Ciclovia

Para Nelsinho, a milésima obra da prefeitura será a inauguração de uma ciclovia na avenida Afonso Pena. O projeto prevê o início na região do bairro InduBrasil, cruzando a avenida Duque de Caxias, onde encontra a Afonso Pena, até o Parque dos Poderes.

Conforme o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco, o traçado da ciclovia será desenhado de forma a ser implantado nos espaços vazios no canteiro central da avenida.

“Esse é o maior pepino que o Nelsinho me deu” brincou o secretário, ao falar sobre o trajeto que a ciclovia deverá percorrer na Afonso Pena. O Ministério Público Estadual requer o tombamento do canteiro central da avenida e a pista não poderá ser de asfalto, explicou o secretário que revelou ainda que, neste caso, será utilizado concreto usinado “como já acontece no trecho entre a rua Rita Vieira com Avenida Três Barras”.

Segundo De Marco, o prazo de entrega da ciclovia é de até o final deste ano. “O MP não deverá ser problema, pois o projeto é favorável ao meio ambiente. Eles serão sensíveis à obra. A dificuldade será de ordem técnica devido ao traçado que a ciclovia deverá tomar, pois as árvores não poderão ser mexidas”, relata.

Sobre o cruzamento da Afonso Pena com rua Ceará, o secretário explica que deverá ser construída uma ciclo faixa no trecho. “Alguém tem que ceder”, conclui João de Marco ao falar sobre a diminuição da pista para o trânsito de veículos motorizados.

Prazos

Conforme o secretário, a pavimentação da região do córrego Anhanduizinho deve ser concluída entre 1 ano e meio e dois anos, e será resolvida definitivamente com a reurbanização das margens e praças em locais que houver espaço para serem construídas.

No córrego Cabaça, será feita a obra para a contenção dos alagamentos com a captação da água da rua Spipe Calarge até o córrego Anhanduizinho. “A região do Rádio Clube tem um passivo ambiental que deve ser recuperado pelo próprio clube”, relatou o secretário ao prever que a obra seja finalizada em 8 meses.

Para De Marco, o acesso que permitirá a ligação entre as avenidas Fábio Zahran e Três Barras dificilmente será concluída ainda este ano, devendo levar de 6 a 8 meses para ser finalizado.

Para este ano, todas as praças, academias e Ceinfs estarão concluídos, além da Unidade Pronto Atendimento da Moreninha que já está em andamento, assegura o secretário.

Mobilidade

A prefeitura negocia com a CEF (Caixa Econômica Federal), a liberação de mais R$ 40 milhões, para as obras da região dos córregos Segredo e Taquaral, que dará acesso ao novo Shopping Center construído na saída para Cuiabá.

O valor também inclui a construção de mais quatro terminais de ônibus e deverá ser totalmente executado apenas pelo próximo prefeito.

Jornal Midiamax