Geral

Imbirussu: intervenções transformaram a vida das famílias da região

Após sete anos em obras, o projeto do Imbirussu/Serradinho, concebido como um programa de ações integradas visando enfrentar os principais obstáculos ao pleno desenvolvimento das funções urbanas no Município, que afetam a um só tempo a economia local e a qualidade de vida dos moradores, transformou a realidade de milhares de famílias que vivem nos […]

Arquivo Publicado em 28/04/2012, às 11h21

None

Após sete anos em obras, o projeto do Imbirussu/Serradinho, concebido como um programa de ações integradas visando enfrentar os principais obstáculos ao pleno desenvolvimento das funções urbanas no Município, que afetam a um só tempo a economia local e a qualidade de vida dos moradores, transformou a realidade de milhares de famílias que vivem nos bairros inseridos neste complexo.


Satisfeitos com as melhorias, os moradores relatam as condições precárias de sobrevivência enfrentadas e admitem a transformação a qual foram submetidos, permitindo-os um resgate da dignidade humana. Moradora há 22 anos no Jardim Aeroporto I, próximo a Praça da Figueira, Luzia Maria de Oliveira, de 43 anos, conta que a sensação hoje é de que sua família saiu da floresta e veio residir em uma cidade.


“Aqui era um pantanal dentro da cidade de Campo Grande”, define a dona de casa, que inúmeras vezes assistiu a carros e motocicletas passar o dia atolados no meio da rua. Sem pavimentação e cascalho, o local sequer dava condições de acesso a caminhões-guincho para auxiliar veículos atolados.


“Aquilo não era vida não. A gente vivia num pântano. Olhar isso aqui, essas ruas, praças, escolas, parque, horto florestal… A sensação que dá é de que a Prefeitura construiu em menos de cinco anos uma cidade pra acolher as nossas famílias, que por anos estiveram abandonadas pelo poder público. Parecia que a gente não existia”, desabafa Luzia.


Na outra extremidade do Complexo, próximo a Coophatrabalho, a dona de casa Helena Gaúna, de 48 anos, conta que além da segurança, já que não havia iluminação naquela região onde hoje foram construídas avenidas e ruas interligando os bairros, o projeto trouxe opções de lazer para famílias que não tinham meio de sair de casa para buscar distração em outras regiões.


 A falta de condições de mobilidade e a longa distância impediam o deslocamento, por falta de disposição, mas principalmente, por limitação financeira. “Tenho neto que foi criado brincando no brejo, aqui em frente. Não havia nem rua pra andar de bicicleta ou skate. Que ‘dirá’ uma pracinha. Agora, temos o parque linear pra caminhar, as academias ao ar livre para fazer atividades físicas e distrair, praça com gramados para que as crianças façam suas brincadeiras em condições humanas, sem perigo de doenças e outros transtornos”, conta Helena.


Outro fator comemorado pelas famílias diretamente beneficiadas pelo projeto foi a ligação entre as avenidas, que hoje permite acesso a vários pontos da cidade em curto espaço de tempo. “Quem imaginaria que eu sairia daqui do Aeroporto e chegaria à região do Detran em poucos minutos? Para sair desse lugar e chegar a qualquer outro ponto da cidade, era meia hora de viagem. Longe, ruas totalmente sem condições de tráfego, eram alguns dos problemas. A prefeitura transformou bastante essa cidade nos últimos anos. Quem esteve em Campo Grande há cerca de dez anos e volta hoje, não reconhece mais. Hoje, tenho orgulho de morar aqui”, diz a dona de casa Marlene Correa, que mora no Jardim Aeroporto I.


Entenda o projeto


Entregue no dia 15 de novembro do ano passado, o Parque Linear do Imbirussu/Serradinho marcou a conclusão de um dos maiores e mais significativos projetos realizados até hoje em Campo Grande. A Prefeitura realizou em todo o Complexo profundas intervenções sociais, urbanísticas e ambientais em uma das áreas mais populosas de Campo Grande, que exigiram o maior investimento das duas gestões de Nelsinho, de mais de R$ 120 milhões.


Foram quase sete anos de trabalhos, desde a construção de casas para retirada de famílias de áreas insalubres, instalação de equipamentos públicos como escolas e unidades de saúde, obras de infraestrutura como asfalto e saneamento básico e recuperação de áreas degradadas. Cerca de R$ 2,5 milhões foram investidos na iluminação das avenidas abertas margeando o parque linear do Complexo Imbirussu/Serradinho.


Foram instalados 1.291 pontos de energia distribuídos em 14,5 quilômetros de rede, além de 42 luminárias decorativas distribuídas em praças e largos da área de abrangência do projeto. A ação integra o Programa Nacional de Iluminação Pública Eficiente Reluz executado em parceria com a Enersul, com financiamento da Eletrobrás e contrapartida do município.


Resumo de obras e ações executadas dentro do projeto


As obras executadas envolveram a reestruturação do sistema viário, com a implantação de vias urbanas pavimentadas, pontes, calçadas e ciclovia e a implementação de redes de distribuição de água, coletora de esgotos sanitários, drenagem, energia elétrica e iluminação pública, proporcionando integração urbanística e mobilidade urbana para as áreas adjacentes, interligando as avenidas Duque de Caxias e Euler de Azevedo, com a execução de pistas pavimentadas nas duas margens do Córrego Imbirussu. Também foram construídos equipamentos sociais de educação, saúde e assistência social para atender a população da região.


Infraestrutura urbana:


20 km de rede de drenagem,


14,4 km de pavimentação asfáltica,


8 pontes de concreto armado,


7,8 km de ciclovia, Horto Municipal com área de 22 hectares,


7,8 km de Parque Linear, Sistema de esgotamento sanitário,


14,4 km de rede de iluminação pública.


Unidades habitacionais – Construção de 850 casas com área de 32,00 m² com o objetivo de promover o reassentamento das famílias que habitavam áreas de risco ao longo do Projeto.


Escola municipal – Construção da Escola Municipal Carlos Vilhalva Cristaldo, no Jardim Aeroporto, com 18 salas de aula destinadas ao ensino infantil e fundamental, resultando na ampliação de 130% no número de matrículas realizadas, passando de 613 alunos em 2008 para 1.409 em 2010.


Unidade Básica de Saúde da Família – A Unidade Básica da Saúde da Família – UBSF Dr. Herbeto Calado Rebelo foi inaugurada em dezembro de 2008, oferecendo uma melhor estrutura de atendimento para os moradores da região e bairros vizinhos. Com a construção houve ampliação de 450% no número de pessoas atendidas, passando de 2.000 pessoas em 2008 para 11.000 em 2010.


Centro de Educação Infantil – O Centro de Educação Infantil Felipe Safadi Alves Nogueira foi entregue em 2007, oferecendo apoio complementar à educação infantil, com atividades de creche e pré-escola, havendo um incremento de 137% de crianças atendidas.


Centro Comunitário – Destinado à convivência e capacitação profissional dos moradores da região, foi inaugurado em setembro de 2005 e localiza-se à rua Heitor Vieira de Almeida no bairro Jardim Aeroporto.


Pavimentação da linha de ônibus do Jardim Aeroporto – Obras de drenagem, terraplenagem e pavimentação de linha de ônibus, no Jardim Aeroporto, com extensão de 2,2 km, visando à melhoria do transporte coletivo na região, facilitando o acesso com a via principal.


Recuperação de áreas degradadas – O Projeto contemplou ações destinadas à recuperação do ecossistema e manutenção do equilíbrio ecológico da microbacia do Córrego Imbirussu, com a implantação de um parque linear e eliminação de lançamentos de efluentes nos córregos Imbirussu e Serradinho, além da revitalização e ampliação do Horto Municipal.


Revitalização e ampliação do Horto Municipal – O Horto Municipal foi revitalizado e ampliado, passando a ocupar uma área de aproximadamente 22 hectares, proporcionando uma integração com o Parque Linear. Ações desenvolvidas: tratamento paisagístico, reforma do prédio existente para administração do Horto, implantação de trilhas internas e construção de viveiro para produção de mudas.


Implantação do Parque Linear – Recuperação, em aproximadamente 45 ha, dos cursos d’água e fundos de vale, de maneira a atender as funções de preservar a faixa de drenagem dos córregos e evitar novas ocupações nas áreas, além de oferecer à população local uma alternativa de lazer.


Ações sociais – A partir de novembro de 2008, a Prefeitura de Campo Grande passou a desenvolver um trabalho técnico social na região do Imbirussu, através do Projeto de Saneamento Integrado Vila Popular, com ampla participação da comunidade, através de plantões sociais em Unidades Básicas de Saúde da Família, visitas domiciliares e articulações com lideranças locais.


Os temas abordados nas campanhas educativas trataram sobre os eixos: Educação Sanitária e Ambiental, Coleta Seletiva e Educação para o Trânsito – EPT, sensibilizando a comunidade sobre a importância da relação do saneamento com a saúde e qualidade de vida. Tais iniciativas promoveram novos comportamentos da população em relação ao meio ambiente, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida da comunidade.

Jornal Midiamax