Geral

Hospital Universitário da UFGD comemora 1º ano de atendimento materno-infantil

O Hospital Universitário da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) está comemorando o primeiro ano de atenção materno-infantil. Este atendimento é feito no HU/UFGD desde o dia 31 de dezembro de 2010, quando todos os serviços ambulatoriais e de emergência nas áreas de ginecologia e obstetrícia deixaram de ser feitos pelo antigo Hospital da Mulher. […]

Arquivo Publicado em 18/01/2012, às 23h27

None

O Hospital Universitário da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) está comemorando o primeiro ano de atenção materno-infantil. Este atendimento é feito no HU/UFGD desde o dia 31 de dezembro de 2010, quando todos os serviços ambulatoriais e de emergência nas áreas de ginecologia e obstetrícia deixaram de ser feitos pelo antigo Hospital da Mulher. A transferência dos serviços fez parte de um acordo fechado entre o município e o Ministério Público, através de um Termo de Ajustamento de Conduta que transferiu os serviços do Hospital da Mulher para o HU/UFGD.


Além dos serviços de ginecologia e obstetrícia, desde 31 de dezembro de 2010 o HU/UFGD também é responsável pelo atendimento intensivo a recém-nascidos. O HU possui a única UTI neonatal do município e uma Unidade de Cuidados Intermediários, para onde são encaminhados os bebês que necessitam de atendimento diferenciado.


Os números traduzem o trabalho intensivo realizado por toda a equipe para adequar e melhorar ainda mais a qualidade do atendimento prestado às mulheres que passam pelo Hospital Universitário. Nos primeiros 12 meses, foram mais de 10,5 mil atendimentos no setor de Ginecologia e Obstetrícia – incluindo consultas, partos, atendimentos emergenciais e todo tipo de procedimento.


Somente no Centro Obstétrico, foram 3.346 procedimentos realizados no decorrer de 2011. No total, foram 2.841 partos – sendo 1.539 partos normais e 1.302 cesáreas. Ainda de acordo com o centro obstétrico, foram feitas 313 curetagens e 136 cirurgias eletivas.


Parto humanizado


Um dos grandes diferenciais no atendimento prestado pelo HU/UFGD é o incentivo ao parto humanizado. A sala de fisioterapia, localizada dentro do Centro Obstétrico, colabora para este trabalho. No local, sempre com acompanhamento de um fisioterapeuta, as gestantes em trabalho de parto tem espaço para caminhar e praticar exercícios específicos, utilizando objetos como bolas e cadeiras. Além disso, durante o trabalho de parto as pacientes também podem assistir a filmes e documentários sobre o assunto.


A fisioterapeuta Ângela Rios é uma grande entusiasta e defensora do parto humanizado. “Este trabalho é muito importante porque melhora o controle da dor e reduz o tempo do trabalho de parto”, explica. “Com este atendimento diferencial, a mãe ajuda o próprio corpo a evoluir o trabalho de parto e promove mais conforto e tranquilidade também para os acompanhantes”, acrescenta.


Em 2011, o HU também incentivou a visita de gestantes à maternidade e aos setores que envolvem a atenção materno-infantil. Estes encontros, sempre agendados e em grupos, são importantes para criar vínculo com o hospital e repassar informações sobre o dia do parto.


 Investimentos


O primeiro ano de atenção materno-infantil no Hospital Universitário também foi de investimentos. No total, já foram R$ 604 mil, investidos diretamente neste setor. O recurso foi utilizado para a aquisição de equipamentos e materiais como bisturi eletrônico, colposcópico, 40 bercinhos para recém-nascido e balanças pediátricas, além de armários e computadores.


Para 2012, a previsão é adquirir novos equipamentos, com previsão de pelo menos R$ 150 mil em investimentos somente neste início de ano. A grande expectativa para os próximos meses é pela construção do Instituto da Mulher e da Criança, que terá 204 leitos para atendimento de ginecologia, obstetrícia e pediatria.


O IMC será o mais importante estabelecimento de saúde destinado ao atendimento a mulheres e crianças da região de Dourados. No total, serão R$ 17 milhões em investimentos – sendo R$ 12 milhões do Ministério da Saúde via emenda parlamentar, viabilizada pelo deputado federal Geraldo Resende, mais contrapartida de R$ 5 milhões da UFGD. O projeto de construção já está pronto e depende apenas de autorização do Ministério da Saúde para início das obras.


O diretor geral do HU e vice-reitor da UFGD, Wedson Desidério Fernandes, também vê com muito entusiasmo a construção de mais um espaço para assistência e ensino. Ele lembra que, atualmente, os serviços de ginecologia e obstetrícia do HU/UFGD já estão funcionando bem, mas destacou a importância da ampliação deste serviço. “Com a implantação do Instituto da Mulher e da Criança, avançaremos para patamares que hoje são inimagináveis para a maioria das pessoas que convivem com a área da saúde. Teremos uma estrutura de cinco andares que atenderá todos os serviços de ginecologia, obstetrícia, pediatria, cirurgia pediátrica e UTI neonatal, tanto para a assistência ao público como também para o desenvolvimento das atividades acadêmicas”, avaliou,


Em 2012, também deverá haver ampliação dos serviços prestados à mulher. Com recursos do governo federal, o HU/UFGD deverá implantar ainda este ano o serviço de diagnóstico de câncer de mama e colo de útero, que deverá ser um grande salto no trabalho de prevenção e tratamento precoce à doença.

Jornal Midiamax