Geral

Grêmio testa formação pensando no Palmeiras, mas joga pouco e perde para o Náutico

O técnico Vanderlei Luxemburgo mudou a formação do Grêmio. Em vez do tradicional 4-4-2, um 4-3-3 com Moreno, Kleber e Miralles pensando na partida da próxima quarta, contra o Palmeiras. Mas o resultado foi muito aquém do esperado. Neste domingo, time gaúcho jogou pouco, levou gol aos 46 minutos do segundo tempo e perdeu para […]

Arquivo Publicado em 17/06/2012, às 23h31

None

O técnico Vanderlei Luxemburgo mudou a formação do Grêmio. Em vez do tradicional 4-4-2, um 4-3-3 com Moreno, Kleber e Miralles pensando na partida da próxima quarta, contra o Palmeiras. Mas o resultado foi muito aquém do esperado. Neste domingo, time gaúcho jogou pouco, levou gol aos 46 minutos do segundo tempo e perdeu para o Náutico por 1 a 0, nos Aflitos, pela quinta rodada do Brasileirão.


“Tem tudo a ver com quinta-feira. Vamos ver como a formação se sai”, disse Luxa antes do jogo. A ideia era ganhar força de ataque, testando a linha de frente para o confronto de volta das semifinais da Copa do Brasil quando precisa tirar vantagem de dois gols do Palmeiras.


Foi a segunda vez que o 4-3-3 foi usado e o resultado foi igualmente ruim. Na final do segundo turno do Campeonato Gaúcho, contra o Inter, a trinca de atacantes foi Miralles, André Lima e Bertoglio, que também fizeram pouco.


Chances claras, mesmo com muita gente no ataque, só ocorreram em lances esporádicos e de fora da área. Punido no fim da partida novamente [contra o Palmeiras na última quarta os dois gols da derrota saíram depois dos 40 do segundo tempo] o time tricolor ficou com 9 pontos, enquanto os pernambucanos chegaram a 7.


Em casa, o time pernambucano abusou das jogadas em velocidade. Explorando principalmente Lúcio pela esquerda, a ideia do Timbu era cruzar para Araújo ou buscar  arremates de longe. Nisso tentou bastante, mas sem grandes oportunidades. A exemplo do feito pelo Grêmio, cuja principal ação ofensiva nos minutos iniciais veio em uma cobrança de falta de Edílson que acertou a trave, aos 9 minutos.


Até o fim do primeiro tempo, muito empenho e pouco futebol. Grêmio e Náutico não chegaram a criar oportunidades de gol, pouco estiveram presentes na área adversária e o 0 a 0 justificava totalmente o jogo.  “O campo prende muito, você não consegue carregar. Erramos passes que não erraríamos normalmente, mas o time está bem”, disse Kleber ao fim da primeira etapa.


Aos 4 minutos do segundo tempo, Marcelo Moreno acertou a trave após vitória pessoal contra a zaga pernambucana. O Grêmio esteve perto de marcar, mas não conseguiu. A resposta do Náutico veio só aos 17 minutos, com Araújo, que perdeu para Gilberto Silva dentro da área.


A partir dos 20 minutos do segundo tempo, o time local passou a pressionar em busca do gol. Martinez comandava as ações do meio para frente, mesmo posteriormente deslocado para esquerda. Se o quadro gremista se apresentava difícil, ficou ainda pior aos 34 minutos quando Douglas Grolli foi expulso. Tanto tentou que o Náutico marcou. Ronaldo Alves recebeu cruzamento de Breitner aos 46 minutos e definiu o placar: 1 a  0.


Jornal Midiamax