Geral

Grêmio e Inter duelam na última partida da história do Olímpico

Nada mais simbólico para a história do Estádio Olímpico que ter um Gre-Nal como seu último jogo oficial. Neste domingo, Grêmio e Internacional duelam pela 394ª vez, a 123ª no principal palco gremista, o estádio que mais vezes recebeu o principal clássico do Rio Grande do Sul até hoje. A partida fecha a participação dos […]

Arquivo Publicado em 02/12/2012, às 15h09

None

Nada mais simbólico para a história do Estádio Olímpico que ter um Gre-Nal como seu último jogo oficial. Neste domingo, Grêmio e Internacional duelam pela 394ª vez, a 123ª no principal palco gremista, o estádio que mais vezes recebeu o principal clássico do Rio Grande do Sul até hoje.


A partida fecha a participação dos dois times gaúchos no Campeonato Brasileiro e vale, para o Tricolor, o vice-campeonato nacional. De mudança para a Arena, que promete ser o estádio mais moderno da América Latina, o Grêmio vive dias de euforia. Além da mudança de endereço, o Tricolor já projeta o ano de 2013 em seu estádio novo com a garantia de participar da Copa Libertadores da América.


Mesmo assim, ainda restam dois objetivos: o de fechar a história do Olímpico com uma vitória sobre o maior rival e o de garantir o vice-campeonato, que dará vaga direta à fase de grupos da Libertadores e a certeza de um calendário menos corrido no começo do ano que vem.


Para terminar o Brasileirão em segundo lugar, o Grêmio precisa vencer o Internacional ou torcer para que o Atlético-MG não derrote o Cruzeiro no clássico mineiro. Qualquer uma destas combinações dá ao Tricolor o vice. Atualmente, o time de Vanderlei Luxemburgo tem 70 pontos, contra 69 do Galo.


Ambos estão garantidos matematicamente na Libertadores. Mesmo estando 19 pontos à frente do Internacional na tabela, o Grêmio tem alguns problemas que abalam seu inegável favoritismo no clássico. A dupla de ataque titular, por exemplo, está fora da partida.


Kleber sofreu uma lesão no tornozelo há 15 dias e foi operado nesta quinta, devendo retornar apenas em janeiro. Já Marcelo Moreno, que vinha atuando com um efeito suspensivo, foi mesmo punido pelo pleno do STJD e está fora do clássico.


Somados, os dois atacantes titulares do Grêmio têm 16 gols no Brasileiro, contra 15 da dupla Leandro e André Lima, que deve iniciar a partida. A principal dúvida do técnico Vanderlei Luxemburgo é Zé Roberto. O meia sentiu uma torção no tornozelo no início da semana e virou dúvida para o clássico.


Luxa esconde a escalação e fecha os treinos, tornando o experiente articulador, de 38 anos, um dos grandes mistérios do Gre-Nal. Caso ele não jogue, Marquinhos, Marco Antônio e Léo Gago são as opções. A boa notícia do lado gremista é a presença de Werley, que havia sentido dores e estava como dúvida.


Já Anderson Pico, com excesso de peso, foi afastado por Luxa: “O Pico está no elenco, mas está sendo afastado porque lhe foram dadas muitas oportunidades e, nas últimas semanas, ele ainda aumentou de peso. O jogador precisa ter um pouco mais de responsabilidade. É um atleta que recuperamos, e cobramos muito”, criticou o técnico gremista.


Léo Gago e Júlio César brigam pela vaga, mas até mesmo Pará, improvisado, pode começar o clássico na esquerda, dando lugar a Tony ou Edílson na lateral direita. Fora de qualquer briga na tabela, o Internacional tem como meta estragar a festa gremista de despedida do Olímpico e terminar o ano com dignidade.


“O torcedor sempre cobra vitórias, e o Gre-Nal é um motivo a mais. A gente precisa reconhecer que está devendo, mas estamos fazendo de tudo para chegar da melhor maneira possível ao clássico. Não vai ser fácil”, admite o meia D’Alessandro, confirmado para iniciar a partida. Kleber e Dagoberto, lesionados, e Bolívar e Nei, afastados, são os desfalques do técnico Osmar Loss para o Gre-Nal deste domingo.


Nesta quinta, o interino colorado testou uma formação bastante defensiva no treinamento: retirou o uruguaio Forlán da equipe em favor do volante Josimar. O Inter, desta forma, pode entrar com três centromédios, dois meias e apenas Leandro Damião como atacante. Foi do camisa 9 colorado, aliás, a frase mais marcante da semana.


Mesmo atuando pelo Inter, Damião não deixou de elogiar o Olímpico, e lamentou o fechamento do estádio do principal rival vermelho: “tenho muito respeito pelo Olímpico. É um estádio muito bonito, e várias coisas boas aconteceram ali. É triste para o futebol perder um estádio como o Olímpico, mas faz parte”, reconheceu.


O jogo deste domingo será o último oficial da história do Olímpico, mas o Grêmio ainda deve realizar um amistoso em 2013 para se despedir de vez de seu velho estádio, erguido em 1954. O Olímpico é a cancha que mais recebeu Gre-Nais até hoje: foram 122, com 41 vitórias do Grêmio, 34 do Internacional e 47 empates. A Arena, nova casa tricolor, será inaugurada no próximo sábado, em uma partida entre o Grêmio e o Hamburgo, da Alemanha.


FICHA TÉCNICA


 GRÊMIO X INTERNACIONAL


Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)


Data: 2 de dezembro de 2012, domingo


Horário: 17h (de Brasília)


Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)


Assistentes: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Ivan Carlos Bohn (PR)


GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Naldo, Werley e Léo Gago; Fernando, Souza, Marco Antônio e Elano; Leandro e André Lima Técnico: Vanderlei Luxemburgo


INTERNACIONAL: Muriel; Edson Ratinho, Rodrigo Moledo, Índio e Fabrício; Ygor, Guiñazu, Josimar, Fred e D’Alessandro; Leandro Damião Técnico: Osmar Loss

Jornal Midiamax