Geral

Governo recorre ao Exército para transporte de milho

Faltam caminhões para o transporte de milho para regiões com déficit de oferta do cereal, e o governo recorrerá ao Exército numa tentativa de aliviar a situação de criadores de aves e suínos que sofrem com preços altos dos insumos, disse nesta terça-feira o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, durante evento em São Paulo. Ribeiro […]

Arquivo Publicado em 04/09/2012, às 17h48

None

Faltam caminhões para o transporte de milho para regiões com déficit de oferta do cereal, e o governo recorrerá ao Exército numa tentativa de aliviar a situação de criadores de aves e suínos que sofrem com preços altos dos insumos, disse nesta terça-feira o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, durante evento em São Paulo.

Ribeiro observou que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vem encontrando dificuldade para transportar milho dos estoques públicos para as regiões do Sul e Nordeste, com déficit de abastecimento, num momento em que os preços estão em alta, na esteira dos patamares recordes do mercado global.

Portarias interministeriais já autorizaram a remoção de 400 mil toneladas de milho para atendimento a pequenos criadores e novas ações estão sendo desenvolvidas para aliviar a escassez em determinadas áreas do país.

“Pedi ao presidente da Conab e à diretoria que empenhassem todos os esforços, inclusive recorrendo ao próprio Exército, para auxiliar no deslocamento do milho do Mato Grosso para os Estados do Nordeste e do Sul”, acrescentou o ministro a jornalistas, após evento na Sociedade Rural Brasileira, em São Paulo.

Ele lembrou que uma greve de caminhoneiros ao final de julho afetou o transporte do produto, num momento em que a demanda por caminhões é grande, com o Brasil tentando escoar uma produção recorde de milho e buscando exportar os maiores volumes da história.

Embora a safra 2011/12 de milho esteja estimada em um recorde superior a 70 milhões de toneladas, algumas áreas do país não são produtoras ou sofreram os efeitos de uma estiagem severa no início do ano, como é o caso do Rio Grande do Sul.

O ministro não foi claro sobre a extensão da ajuda que o Exército dará para o escoamento do cereal, mas indicou que ela será restrita a programas que envolvem o apoio da Conab no abastecimento.

A ação ocorre no momento em que criadores de animais e indústrias de carnes estão com margens apertadas, em função da alta dos insumos, e já cortam a produção.

O ministro disse que mais recursos para incrementar o programa de escoamento já foram reinvindicados junto ao Ministério da Fazenda.

Paralelamente, o Ministério da Agricultura divulgou nota nesta terça-feira na qual garante que não faltará milho para o abastecimento interno, apesar das exportações recordes do cereal do Brasil.

Soja Garantida

Ribeiro afirmou ainda a jornalistas que teve garantias da indústria de soja de que não faltará o produto para o abastecimento do mercado interno na entressafra neste ano, após grandes volumes terem sido exportados.

“A indústria me garantiu que não faltará soja.”

A indústria de soja também afirmou em nota ao final de agosto que não faltará farelo de soja para compor a ração das criações.

Jornal Midiamax