Geral

Governo do Estado faz asfalto no Aero Rancho e deixa para depois implantação do esgoto

Para especialista, o asfaltamento teria que compreender ao mesmo tempo, a correta drenagem superficial com galerias pluviais e esgotamento sanitário

Arquivo Publicado em 15/09/2012, às 12h13

None
1372992905.png

Para especialista, o asfaltamento teria que compreender ao mesmo tempo, a correta drenagem superficial com galerias pluviais e esgotamento sanitário

O Governo do Estado faz uma pavimentação no bairro Aero Rancho e reacende uma questão que ocorre nesse tipo de obra, que é o de passar toda a lama asfáltica, e somente depois é implementada rede de esgoto.

Em muitos bairros da Capital, o campo-grandense se depara com a via remendada, que foi retalhada para a colocação do saneamento básico.

A pavimentação no Aero Rancho, compreende a 8.308,23 metros de drenagem e 103.573,85 metros quadrados, feitas em quatro etapas.

A previsão da Secretaria de Estado de Obras Públicas e de Transportes é entregar até ao fim de dezembro.

Obra feita dessa forma, que segundo especialistas causam prejuízos financeiros, com quebra do asfalto e contrato de novas licitações para as obras. Tanto quem avalia o assunto, quanto moradores não são contra a chegada do asfalto nos bairros, que trás desenvolvimento e valorização na região.

Segundo o mestre em saneamento ambiental e recursos hídricos, José Milton Longo e o doutor em ecologia e conservação Gustavo Marques Pitalugo, além da falta de esgoto que pode acarretar em problemas de saúde. “Causa prejuízo, desperdício de tempo por conta de novas licitações e contratação de empresas”, lembra Pitalugo.

“O asfaltamento teria que compreender ao mesmo tempo, a correta drenagem superficial com galerias pluviais e esgotamento sanitário”, argumenta Longo. “Falaram que daqui a cinco anos vão ter que quebrar para colocar o esgoto, podia fazer de uma vez só”, diz a a diarista Paula Renata Aristimunha de 27 anos.

“O problema é que vai gastar com o asfalto e depois vai quebrar para colocar o esgoto”, diz o técnico em nutrição Jefferson Luiz Maciel Cristaldo de 35 anos.

“Só fazem assim, primeiro passam o asfalto e depois o esgoto”, diz o pedreiro Lourival Rodrigues, 56.

A empresa Águas Guariroba, concessionária de abastecimento de água e esgoto informou que, como, até 2005 apenas 29% da cidade contava com a rede de esgoto, foi inevitável que as obras fossem executadas em alguns locais que já possuíam asfalto.

A Águas também diz que,” que busca conciliar os cronogramas das obras de rede de água e esgoto com as obras de pavimentação executadas pelo poder público”.

Já o Governo do Estado, responsável pela obra no Aero Rancho, argumentou à reportagem, que é feito o projeto de asfaltamento e de implementação de esgoto ao mesmo tempo, porém as verbas para a pavimentação asfáltica, na sua maioria são liberadas com maior rapidez por parte do Governo Federal, do que os destinados a finaciamento de esgoto.

O Estado de MS, também informou que no caso do bairro Aero Rancho não será quebrado o asfalto para a futura implantação do esgoto e sim as calçadas.

Jornal Midiamax