Geral

Garis cruzam os braços por melhores condições de trabalho em Coxim

Os garis de Coxim paralisaram os serviços nesta sexta-feira (27) e fizeram uma manifestação em frente a secretaria de Obras, por melhores  condições de trabalho. A reivindicação é para que os caminhões usados na coleta de lixo do município sejam adequados para a realização do serviço (compactador hidráulico). Hoje, existem apenas dois desses caminhões específicos […]

Arquivo Publicado em 27/01/2012, às 17h45

None

Os garis de Coxim paralisaram os serviços nesta sexta-feira (27) e fizeram uma manifestação em frente a secretaria de Obras, por melhores  condições de trabalho.


A reivindicação é para que os caminhões usados na coleta de lixo do município sejam adequados para a realização do serviço (compactador hidráulico). Hoje, existem apenas dois desses caminhões específicos e uma caçamba para a realização do serviço, porém, os dois específicos estão quebrados e o serviço esta sendo realizado com três caçambas.


Conforme a presidente do Sinsmc (Sindicato dos Servidores Municipais de Coxim), Márcia Gonzalez da Silva, quando se usa a caçamba, o trabalhador fica em contato direto com o lixo, gerando condições insalubres ao gari. “Ele recebe o lixo jogado pelos companheiros e separa manualmente em cima do caminhão”, explica Márcia.


O gari José Carlos, de 33 anos, um dos fica em cima da caçamba separando o lixo adquiriu micose nas mãos e nas pernas, devido ao contato direto com o lixo. “As vezes também sinto dor na coluna por abaixar e levantar repetidamente para fazer esse processo de separação do lixo”, conta.


Em coletiva a imprensa no final da manhã, o secretário de Gestão, Cleiton Oliveira dos Santos, disse que a prefeitura já esta tomando providências para adquirir os caminhões adequados para a coleta de lixo. A secretaria de Obras, Fernanda Dias Rodrigues Estevam, esta em Campo Grande, orçando valores para alugar os caminhões.


De acordo com a prefeita Dinalva Mourão (PMDB), os dois caminhões que estão estragados estão sendo consertados e, a partir de amanhã, estarão em funcionamento.


Outra reclamação dos garis e da presidente do Sinsmc é quanto ao lixo não domiciliar, como areia, entulhos e galhos de árvores que as pessoas colocam para que eles recolham. “Esse tipo de lixo não é de nossa obrigação recolher, o nosso compromisso é apenas com o lixo doméstico. Pedimos a compreensão da população, isso acaba atrapalhando e atrasando o serviço”, explica a presidente.

Jornal Midiamax