Geral

Frigorífico inicia abates em Nova Andradina e contratações podem atingir 900 postos de trabalho

A unidade de Nova Andradina do Frigorífico JBS entra em funcionamento na manhã desta quarta-feira (05). Inicialmente, devem ser abatidas cerca de 150 cabeças de gado, o que irá gerar aproximadamente 550 empregos diretos. O volume de abates deve se manter inalterado até o sábado (08), e a partir das próximas semanas, a empresa pretende […]

Arquivo Publicado em 05/12/2012, às 09h34

None
1570236639.bmp

A unidade de Nova Andradina do Frigorífico JBS entra em funcionamento na manhã desta quarta-feira (05). Inicialmente, devem ser abatidas cerca de 150 cabeças de gado, o que irá gerar aproximadamente 550 empregos diretos.


O volume de abates deve se manter inalterado até o sábado (08), e a partir das próximas semanas, a empresa pretende aumentar o volume de carne processada. Com isso, as contratações podem atingir a marca de 900 postos de trabalho.


Segundo o analista de recursos humanos da empresa, Élcio Abreu Garcia, a partir das 06h será realizada, na unidade, cerimônia religiosa de inauguração com a presença de diretores e funcionários da empresa, membros do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Nova Andradina e Região (Stiana), representantes do Centro Integrado de Assistência ao Trabalhador (Ciat) e autoridades políticas locais.


Nas palavras de Garcia, a celebração ecumênica tem como objetivo principal agradecer a Deus pelo início da operação da empresa, bem como orientar os funcionários sobre a filosofia de trabalho do Grupo JBS, que é a maior processadora de carne bovina do mundo.


Com a abertura de novas plantas no Brasil, das quais algumas são próprias e outras do antigo Frigorífico Independência, o JBS pretende adicionar dois milhões de cabeças de gado à capacidade nacional de abate para 2013.


A planta frigorífica de Nova Andradina, que estava desativada desde 2009, após o fechamento do Independência, faz parte do pacote adquirido pelo JBS, que inclui ainda unidades em Campo Grande (MS), Senador Canedo (GO) e Rolim de Moura (RO); dois curtumes, em Nova Andradina (MS) e Colorado D’Oeste (RO); dois centros de distribuição e armazéns, em Cajamar (SP) e Santos (SP); e as marcas pertencentes ao grupo. A compra, no valor de R$ 268 milhões foi oficializada no mês de maio deste ano.


Dívidas trabalhistas


O impasse gerado pelo não pagamento das dívidas trabalhistas para com os ex-funcionários do Frigorífico Independência, que fechou as portas em 2009, pode estar próximo do fim.


Esta é a expectativa do advogado Lécio Gavinha Lopes Júnior, que representa os interesses de grande parte dos trabalhadores. Em entrevista concedida no mês de novembro ao Nova News, Gavinha explicou que cerca de 80% do andamento dos processos já foi concluído e que as pendências podem ser liquidadas nos próximos meses.


Segundo ele, há a tentativa de celebrar acordo com a direção do Independência para que os pagamentos ocorram de forma mais rápida. O advogado destacou o fato de que o Grupo JBS não deve nada aos trabalhadores do antigo frigorífico e que as dívidas serão honradas pela direção do próprio Independência.


“O JBS é uma empresa nova na cidade, que entra em funcionamento sem dever nada a ninguém. Quem possui dívidas é o Independência, que as honrará utilizando-se dos recursos obtidos com a venda das instalações da indústria”, finalizou.

Jornal Midiamax