Geral

Forlán desencanta, faz dois e Inter espanta crise com goleada em cima do Flamengo

O Internacional espantou a instabilidade da melhor maneira possível neste domingo. Com goleada e o fim da seca de Diego Forlán. Com dois gols do uruguaio, o Internacional fez 4 a 1 no Flamengo e quebrou o jejum de vitórias que já durava quatro rodadas. Além do gringo, Josimar e Damião marcaram para os gaúchos. […]

Arquivo Publicado em 02/09/2012, às 22h35

None

O Internacional espantou a instabilidade da melhor maneira possível neste domingo. Com goleada e o fim da seca de Diego Forlán. Com dois gols do uruguaio, o Internacional fez 4 a 1 no Flamengo e quebrou o jejum de vitórias que já durava quatro rodadas. Além do gringo, Josimar e Damião marcaram para os gaúchos. Vágner Love anotou para os cariocas, que de certa forma, herdam a crise.


A desforra de Forlán chegou no oitavo jogo dele no Brasileirão. Depois de perder gols incríveis diante de Palmeiras, Grêmio e Coritiba, o atacante aproveitou as fragilidades da defesa adversária e marcou um gol com oportunismo e outro com o típico chute forte.


O resultado empurra o Inter aos 34 pontos. Ainda dependendo do Cruzeiro para se confirmar na sexta colocação do Brasileirão. Para o Flamengo, o placar aumenta a incerteza. Que se iniciou após o empate no Engenhão com o Sport.


A partida teve um primeiro tempo elétrico. Com três gols e cheio de chances para os dois lados. Tanto que com menos de cinco minutos Fabrício já havia perdido um oportunidade incrível dentro da grande área do Flamengo. Com D’Alessandro de volta, o Inter tinha mais disposição. Mas se mostrava nervoso. No Flamengo, Vágner Love era a bola de segurança do ataque. Toda e qualquer investida procurava o camisa 99.


Ironicamente, D’Ale e Love se encontraram no primeiro gol do jogo. Depois de um recuo do camisa 10 do Inter, o goleiro Muriel furou feio em bola. Passou do lance na frente da grande área e deixou o atacante do Flamengo livre para marcar. A falha deu contorno de drama para os gaúchos, que inclusive iniciaram gritos de protesto nas arquibancadas.


O detalhe é que mesmo atrás do escore, o time vermelho criava mais. O grande adversário dos donos da casa parecia o misto da ansiedade com  a pressão. O Flamengo se esforçava para segurar a vantagem, mas a defesa não colaborava. Aos 28, o lance do desafogo duplo. Do Inter, que perdia a terceira seguida no campeonato até ali, e de Forlán. Após cruzamento de Fabrício e trapalhada de Ramon, que não conseguiu dominar nem chutar a bola, o uruguaio aproveitou e fez. O tão esperado primeiro gol saiu com oportunismo.


O chute forte deu lugar ao jeito e fez o Beira-Rio respirar aliviado. Pelo atacante e pelo placar. Pelo fim do jejum do gringo e pela recuperação no jogo. O gol deu moral ao time e fez o Flamengo se fechar.


Dorival Júnior, na beira do campo, pedia atenção redobrada com D’Alessandro. Seus comandados não executaram tudo conforme o esperado e a virada no escore chegou antes do intervalo. Após cobrança de falta de Fabrício, a zaga carioca não se entendeu outra vez. Josimar, no reboteu, venceu Felipe.


No segundo tempo, com Bottinelli e Mattheus, o Flamengo trocou de postura e foi para cima tentando o empate. Vágner Love, aos 12, acertou o travessão após chute muito forte. A busca carioca deu espaços e aí o Inter aproveitou. Foram várias chances até que Forlán fez o segundo.


Depois de chute colocado de D’Alessandro, que acertou o pé da trave direita de Felipe, o uruguaio dominou o rebote dentro da área e chutou forte. Fulminando o goleiro. O quarto veio com Damião. O centroavante escorou de cabeça após cruzamento preciso de Fabrício.


Personagem do jogo, Forlán foi sacado por Fernandão e ovacionado pelos torcedores. Rafael Moura, antes do apito final, ainda perdeu o quinto gol quase em cima da marca do pênalti.


Jornal Midiamax