Geral

Filho de PM rouba arma do pai para trocar por drogas em Campo Grande

Arma foi entregue a Lúcio Rodrigues Ramos, 22 anos. Policiais suspeitam que ele faz parte do PCC. Com Lúcio foram encontrados ainda um revólver calibre 38, munição e dez celulares.

Arquivo Publicado em 19/12/2012, às 11h59

None
514854745.jpg

Arma foi entregue a Lúcio Rodrigues Ramos, 22 anos. Policiais suspeitam que ele faz parte do PCC. Com Lúcio foram encontrados ainda um revólver calibre 38, munição e dez celulares.

Na semana passada um policial militar que não teve o nome divulgado registrou o furto de sua arma, pistola Ponto 40 de uso restrito da Segurança Pública. Nesta madrugada, homens da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) em operação nos bairros Samambaia e Mário Covas apreenderam cinco menores, dentre eles o filho do PM, apontado como autor do furto, e prenderam duas pessoas que estavam com a posse da arma.

De acordo com as investigações, o filho do policial é usuário de drogas e teria furtado a arma para sustentar o vício. Dos cinco menores, de idades entre 16 e 17 anos, dois foram liberados e serão apenas testemunhas, pois não tiveram participação ativa no furto. Os outros três,incluindo o filho do PM foram encaminhados para a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude).

Facção criminosa

O menor filho do policial militar teria vendido a arma a Willian Henrique Mattos dos Santos, 22 anos, que repassou a pistola para Lúcio Rodrigues Ramos, 22 anos. Ambos foram presos em flagrante junto com os menores na operação.

Com Lúcio, além da Ponto 40, a Cigcoe encontrou um revólver calibre 38, munições e dez aparelhos celulares. No celulares haviam mensagens de texto de detentos da Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande.

A Polícia acredita que Lúcio é integrante de facção criminosa. “Há suspeita que ele seja do PCC, por causa das mensagens”, comentou o sargento da Cigcoe Paulo Henrique Nogueira. Contra ele ainda havia mandado de prisão por ser evadido da entro Agroindustrial da Gameleira, presídio de regime semiaberto, onde cumpria pena por roubo.

Jornal Midiamax