Geral

Festival América do Sul mistura ritmos e expressões nos espetáculos de dança

Para quem gosta de dança, o 9º Festival América do Sul – que acontece de 27 a 30 de abril em Corumbá – tem em sua programação vários espetáculos com grupos regionais, da fronteira e nacionais. Uma das grandes atrações é a SeráQ. Cia. de Danca, de Belo Horizonte (MG), com o “Q’EU ISSE”, que […]

Arquivo Publicado em 16/04/2012, às 11h40

None

Para quem gosta de dança, o 9º Festival América do Sul – que acontece de 27 a 30 de abril em Corumbá – tem em sua programação vários espetáculos com grupos regionais, da fronteira e nacionais.


Uma das grandes atrações é a SeráQ. Cia. de Danca, de Belo Horizonte (MG), com o “Q’EU ISSE”, que faz parte de uma trilogia de espetáculos de dança que investiga as noções de identidade da população brasileira com recorte especial da população afro-indígena. Q’EU ISSE significa “que eu fosse” pronunciado com uma sonoridade de um “dialeto” da Língua Portuguesa – o mineirês.


O coreógrafo Rui Moreira explorou as estruturas de danças afrobrasileiras, danças africanas, danças rituais e os movimentos dos bailarinos intérpretes. A dramaturgia foi desenvolvida sobre uma trilha sonora original com elementos jazzísticos e de sons da natureza, composta especialmente para o espetáculo pelo renomado músico Milton Nascimento.


Mais dança no FAS


O Escenas Flamencas, que se dispõe a ser mais do que um espetáculo de flamenco, é uma proposta de abordagem dessa arte. O grupo revela uma nova sensibilidade para a dança flamenca e uma abordagem original na dramaturgia dos bailes tradicionais.


A companhia Raies Dança Teatro se propõe a reunir o tradicional e o moderno da música e dança, através do toque das castanholas, sapateado, palmas e leques. O grupo boliviano Vidanza trará para o 9º Festival América do Sul o espetáculo Dança e sons de Chuquiago, inspirado na cidade de La Paz, com seus ritmos, sons, ruas, gentes e suas festas populares, com uma proposta coreográfica que funciona em dança e música, contemplando o folclore tradicional com o contemporâneo.


A companhia de Artes da Uniderp-Anhanguera irá apresentar Corpografia Brasileira revelando que o corpo não mente, o gesto denuncia, o andar conduz e o olhar revela. O grupo Dança Moinho revela no espetáculo Três Irmãos o encontro de irmão, desencontro de menino, encontro de sonho, desencontro de ilusão, encontro de muitos, desencontro de três.


Ainda, durante o 9º Festival América do Sul, haverá a palestra “Roda pra conversa de Dança”, com Rui Moreira, diretor e coreógrafo da SeráQ. Cia de Dança, que irá abordar temas como a sustentabilidade, trabalho do grupo e dança.


A programação dos horários e locais das apresentações pode ser conferida no site www.festivalamericadosul.com.br .


Jornal Midiamax