Geral

Felipão se dá nota zero e concorda com torcida por gritos de “time sem vergonha”

O empate por 2 a 2 com o Comercial, neste domingo, no Pacaembu, fez os jogadores do Palmeiras saírem sob vaias e gritos de “time sem vergonha” do pouco público presente no estádio. “Não tenho o que falar, a torcida que vaiou e xingou tem o meu aval e deveria me xingar.  Se querem dar […]

Arquivo Publicado em 15/04/2012, às 21h58

None

O empate por 2 a 2 com o Comercial, neste domingo, no Pacaembu, fez os jogadores do Palmeiras saírem sob vaias e gritos de “time sem vergonha” do pouco público presente no estádio.


“Não tenho o que falar, a torcida que vaiou e xingou tem o meu aval e deveria me xingar.  Se querem dar uma nota pra mim, é só dar zero e eu fico até satisfeito”, falou Felipão.


O meio-campista Marcos Assunção deu razão aos torcedores depois do jogo e lembrou que o time jogou com dois homens a mais durante quase toda a segunda etapa.


“É assim que tem que ser, ficamos o segundo tempo inteiro com dois a mais e não conseguimos transformar isso em vitória. Se jogar assim, não [vence], temos que melhorar muito”, falou.


“Não jogamos aquilo que a gente sabe, temos que melhorar muito e trabalhar bastante”, endossou o zagueiro Henrique, autor de um dos gols na partida.


A equipe de Ribeirão Preto já estava rebaixada, começou a rodada na última colocação e conviveu até com uma ameaça de seus jogadores de não entrarem em campo por falta de pagamento.


Com o resultado, o Palmeiras se classificou na quinta colocação e vai enfrentar nas quartas de final o Guarani, quarto colocado, em Campinas. Um dos objetivos do clube da capital nesta última rodada era terminar entre os quatro primeiros para jogar em casa na próxima fase. Se vencesse, teria conseguido esse objetivo. Mas ficou nos mesmos 36 pontos que o Guarani, que levou vantagem no número de vitórias.


Jornal Midiamax