Geral

FCMS promove a 20ª edição do Sarau Cultural divulgando identidade sul-mato-grossense

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) realiza nesta terça-feira (4) as 19h às 21h, a 20ª edição do Sarau Cultural, reunindo pessoas e divulgando a rica identidade sul-mato-grossense. O evento é gratuito e acontece no Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG). Durante duas horas, das 19 às 21h, intervenções de vários […]

Arquivo Publicado em 01/09/2012, às 11h07

None

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) realiza nesta terça-feira (4) as 19h às 21h, a 20ª edição do Sarau Cultural, reunindo pessoas e divulgando a rica identidade sul-mato-grossense. O evento é gratuito e acontece no Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG).


Durante duas horas, das 19 às 21h, intervenções de vários segmentos culturais, se espalham nas instalações do Centro Cultural apresentando a produção de artistas locais e visitantes com o intuito de mostrar e trocar experiências nas variadas artes. Nessa edição, o Sarau Cultural apresentará desenhos em grafite do artista Luciano Alonso, declamação de poesias com o poeta Baltazar Rodrigues, dança oriental com Fabiana Silveira e Mariaisha e música com o cantor e compositor Pedro Espíndola e a banda Maria Mulata. Além dos artistas convidados, o Sarau abre espaço também para intervenções do público.


Luciano Alonso artista plástico autodidata, desenhista, pintor, ministra aulas de Desenho Artístico e Pintura em Tela nas Oficinas de Arte do Horto Florestal há 14 anos, e em diversos outros Ateliês e lojas em Campo Grande e MS. Fez várias exposições e participou de diversas outras, salões de arte, etc. Obteve o primeiro Lugar no Prêmio UniversidArte 2004 na Faculdade Estácio de Sá em 2004 na categoria pintura. Suas obras tem forte influência da literatura, atividade da qual também se ocupa, Irá expor desenhos em grafite realistas de personalidades e textos avulsos de poemas, contos, crônicas que estarão disponíveis para o público levar pra casa.


Fabiana Silveira é artista visual, diretora de arte em uma empresa de comunicação e bailarina da Cia. Isa Yasmin. Iniciou seus estudos em Dança do Ventre em 2008 e a partir de 2009 deu continuidade no Isa Yasmin Estúdio de Dança e Arte onde atualmente frequenta aulas de Dança Folclórica, Clássica Oriental e de Instrumentos de Percussão Árabe. Neste Sarau, apresenta Dança com Fan Veil (leque de seda) – considerado por alguns um simples acessório de dança, mas para a artista o leque vem somar à linguagem artística, com leveza, expressividade nos movimentos e tecidos que são como uma continuação do corpo da bailarina.


Com influência de várias vertentes do samba e ênfase no Sambalanço Raizola, os jovens músicos do Maria Mulata buscam dar sua cara e fazer releituras de músicas excepcionais de grandes compositores brasileiros do samba rock, tal como: Bebeto, Erasmo Carlos, Jards Macalé, Jorge Ben, Gordurinha, Jackson do Pandeiro, Trio Mocotó e artistas do balanço contemporâneo. Unindo Samba, Balanço e a Energia do Rock a musicalidade da banda brinca com as definições das palavras “samba” e “rock” encontradas no dicionário.


Mariaisha começou a praticar a Dança Oriental em 1999, em Campo Grande com a professora Claudia Peruzzo, que hoje está na Espanha estudando dança, praticou três anos de aulas no Studio Nidal Abdul onde teve uma de suas primeiras apresentações. Estudou vídeos da professora Lulu Sabongi, que esteve na capital em 2007, foi quando despertou a vontade em Mariaisha de dançar e ser professora de dança, teve aulas com grandes bailarinas da Casa de Chá Khan el Khalili em São Paulo, como Soraia Zaied, que atualmente é uma grande bailarina no Egito. Do latim seranus, sarau é um evento cultural onde as pessoas se encontram para se expressarem artisticamente. Evento bastante comum no século XIX, consiste em uma reunião festiva que ocorre à tarde ou no início da noite, apresentando dança, poesia, leitura, música acústica e também outras formas de arte como pintura, teatro, performances artísticas e literárias.


Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo que fica localizado na rua 26 de Agosto, 453, entre as ruas Calógeras e a 14 de Julho.

Jornal Midiamax