Geral

Falta de gasolina faz donos de postos diminuirem preço do álcool para quem tem carro Flex

Distribuidora BR Petrobrás informou aos donos de postos que problema será resolvido nesta quarta-feira (25), quando 800 mil litros de gasolina chegam para atender a demanda de todo o Estado.

Arquivo Publicado em 25/07/2012, às 14h49

None
1290194346.jpg

Distribuidora BR Petrobrás informou aos donos de postos que problema será resolvido nesta quarta-feira (25), quando 800 mil litros de gasolina chegam para atender a demanda de todo o Estado.

Para suprir a falta de gasolina em parte dos postos de combustíveis de Campo Grande, a saída dos empresários está sendo baixar o preço do álcool e oferecer aos clientes, principalmente quem tem carro Flex.

O problema, segundo o que foi repassado pela distribuidora BR Petrobrás aos donos de postos, será resolvido ainda até o início desta quarta-feira (25), quando 800 mil litros de gasolina chegam para atender a demanda de todo o Estado.


”Já atendi inúmeros clientes hoje e eles estão reclamando, um chegou a dizer que este movimento é para ocorrer um monopólio e aumentar o preço da gasolina, mas o problema é exclusivo da distribuidora e não dos postos. Com isso, baixamos o álcool de R$ 2,19 para R$ 1,96 neste posto e no outro que fica na saída para Cuiabá”, diz o funcionário do Posto Figueira, Zeli da Silva, 63 anos.


Segundo Zeli, um dos clientes mais revoltados disse que não podia ficar sem gasolina e deixou o veículo estacionado no posto, como forma de protesto. A repórtagem tentou localizá-lo, mas encontrou apenas o seu veículo Uno vermelho no pátio do posto, na rua Rui Barbosa, em Campo Grande.

“A informação é que o abastecimento começaria a normalizar hoje em todo o Mato Grosso do Sul, com exceção da região de Três Lagoas que não foi afetada. E, baixando o preço do álcool, como alternativa de venda, só os empresários ficam com o prejuízo porque diminuem a sua margem de lucro, acredito que necessária para que eles não percam clientes”, avalia o diretor de comunicação da Sindipetro/MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis), Marcos Villalba.


Para os postos que não possuem a bandeira BR, Villalba acredita que o movimento já é maior e que eles também podem sofrer com a falta do combustível. “Pode acontecer esporadicamente de faltar gasolina nestes postos porque toda a venda está migrando para lá e este combustível é o carro chefe da venda”, afirma o diretor de comunicação da Sindipetro.

Jornal Midiamax