Geral

Eymael afasta apoio a Giroto e defende candidatura própria do PSDC na Capital

Em visita ao jornal Midiamax, o presidente nacional do PSDC, José Maria Eymael – três vezes candidato a presidente da República -, afastou aliança com o PMDB e defendeu candidatura própria do partido em Campo Grande. “Não vamos nos aliar ao PMDB porque o governador André Puccinelli (PMDB) não cumpriu acordos firmados em eleições anteriores […]

Arquivo Publicado em 19/04/2012, às 17h25

None

Em visita ao jornal Midiamax, o presidente nacional do PSDC, José Maria Eymael – três vezes candidato a presidente da República -, afastou aliança com o PMDB e defendeu candidatura própria do partido em Campo Grande. “Não vamos nos aliar ao PMDB porque o governador André Puccinelli (PMDB) não cumpriu acordos firmados em eleições anteriores com o PSDC”, explicou.


Segundo Eymael, a tendência da sigla é partir para o confronto na Capital.  “A alternativa mais aplaudida é lançar candidato porque time que não joga não tem torcida”, ressaltou. Ele informou ainda ter cinco correligionários dispostos a entrar no embate.


Na última quinta-feira (12), o presidente regional do partido, Elizeu Amarilha, em audiência com o governador, antecipou a intenção de PSDC lançar candidato e afastou apoio ao deputado federal Edson Giroto (PMDB). “Ele nos chamou para conversar e o avisei não estar disposto a compactuar com uma administração que não trouxe crescimento ao Estado”, relatou Amarilha.


Ele acrescentou que até o final de maio o partido deverá anunciar o nome do pré-candidato a prefeito. “Não temos pressa, porque o prazo termina dia 30 de junho”, comentou.


E a aproximação com os tucanos


Indagado se sua participação no lançamento da pré-candidatura do deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) não significava aproximação com os tucanos, Eymael afastou a possibilidade. “Sou amigo pessoal do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Vou lá cumprimentar ele”, disse.


Diante do questionamento, Elizeu Amarilha informou ainda que a agenda de Eymael no Estado estava prevista antes mesmo do anúncio da vinda de Aécio. “Foi uma coincidência”, comentou. Ele, no entanto, não descartou apoio a Azambuja. “Em maio, vamos decidir se lançamos candidato próprio ou coligamos com alguém”, finalizou.

Jornal Midiamax