Geral

Ex-ministra argentina é condenada por dinheiro achado em banheiro

A Justiça da Argentina condenou nesta quinta-feira a quatro anos de prisão a ex-ministra da Economia, Felisa Miceli, por ocultação. Em 2007, foi encontrada no banheiro de seu gabinete no Palácio da Fazenda uma bolsa com US$ 31 mil e 100 mil pesos. Os juízes também proibiram Miceli de exercer cargos públicos por oito anos. […]

Arquivo Publicado em 27/12/2012, às 18h38

None

A Justiça da Argentina condenou nesta quinta-feira a quatro anos de prisão a ex-ministra da Economia, Felisa Miceli, por ocultação. Em 2007, foi encontrada no banheiro de seu gabinete no Palácio da Fazenda uma bolsa com US$ 31 mil e 100 mil pesos. Os juízes também proibiram Miceli de exercer cargos públicos por oito anos. Esta foi a primeira condenação de uma funcionária dos governos de Néstor Kirchner (2003-2007) e de sua sucessora, Cristina Kirchner.



A ex-funcionária, de 60 anos, antecipou que apelará à decisão do tribunal. “Não consigo entender, há gravíssimos casos de corrupção nos quais ninguém vai a julgamento”, disse a ex-ministra ao sair do tribunal. Na época, a ex-ministra disse que um irmão lhe emprestou o dinheiro para comprar uma casa, mas não conseguiu provar a transação imobiliária. Além disso, a ata onde foi feito o registro sobre a bolsa sumiu.



Felisa Miceli foi a primeira mulher na história da Argentina a ocupar o cargo de ministra da Economia. Ela renunciou no dia 16 de julho de 2007, em meio ao escândalo. O caso foi apelidado pela imprensa do país de “banheirogate”, em referência ao escândalo de Watergate ocorrido na década de 70 nos Estados Unidos e que culminou com a renúncia do presidente Richard Nixon.


Jornal Midiamax