Geral

“Estou muito arrependido”, disse acusado que matou homem com 10 facadas

Preso na manhã de hoje, Marcos Antonio disse que falou pra vítima parar de atirar pedras com estilingue contra a casa dele. Depois saiu com uma faca na mão e começou a discussão.

Arquivo Publicado em 04/01/2012, às 20h55

None
496106248.jpg

Preso na manhã de hoje, Marcos Antonio disse que falou pra vítima parar de atirar pedras com estilingue contra a casa dele. Depois saiu com uma faca na mão e começou a discussão.

A Polícia Civil apresentou à imprensa na tarde desta quarta-feira (4) Marcos Antonio dos Santos Rodrigues, de 36 anos, acusado de ter matado com várias facadas Walcilei da Silva Cabalheiro, 35 anos. O crime ocorreu na região do Jardim Aeroporto em Campo Grande, por volta das 3h30 da madrugada da terça-feira (2).

Durante as investigações na região do assassinato, Policiais Civis acabaram chegando a Cabalheiro e a amasiada dele, uma adolescente de 16 anos. “A princípio, a moça disse que seria a autora do homicídio. Ele também negou o crime, mas com informações importantes de uma testemunha e com nosso interrogatório, ele acabou confessando”, falou o delegado do 7º DP, responsável pelo caso, Natanael Costa Balduíno.

De acordo com a polícia, o acusado desferiu pelo menos 10 golpes de faca na vítima depois de um desentendimento. Cabalheiro, que não quis mostrar o rosto na delegacia, comentou que estava em casa assando carne com a companheira e, de repente, Walcilei começou a atirar pedras na direção da casa do casal, usando um estilingue.

“Eu pedi pra ele parar com aquilo, mas continuou atirando com o estilingue. Entramos em nossa casa, fechamos a porta, mas ele continuou atirando pedras. Quando uma pedra quase acertou a minha filha de 5 meses, que tava no colo da mulher, aí fiquei nervoso demais”, relatou Marcos Antonio.

Nesse momento, segundo o acusado, ele já saiu com uma faca de cozinha na mão e começou a discutir com Walcilei. “Há uns dois metros de mim, quando ele ameaçou por a mão na cintura, eu não esperei, vai saber o que ele tinha, aí dei uma facada nele. Como tava muito descontrolado, fui esfaqueando outras vezes”, continuou o acusado.

O crime e as penas

Marcos Antonio diz que está muito arrependido pelo que fez. Ele foi indiciado por homicídio doloso (quando há a intenção de matar). “Num caso como esse, não tem nem como ele alegar legítima defesa. Provavelmente vamos fechar ainda esse assassinato com qualificação por motivo fútil, por causa da maneira cruel que agiu o acusado”, explicou o delegado.

Pra ter uma idéia do estado emocional do rapaz, a polícia informou que ele só parou de golpear a vítima apenas depois que a lâmina da faca quebrou. “Inclusive parte da lâmina ficou no corpo da vítima. Já a moça de 16 anos, depois de muitas interrogações, disse que o último golpe de faca foi ele quem desferiu”, falou Natanael.

A vítima e assassino

Ainda de acordo com as informações da Polícia Civil, no sistema da corporação, havia um registro de uma ocorrência em que Walcilei da Silva Cabalheiro foi socorrido. No Boletim de Ocorrência, foi citado pelo Corpo de Bombeiros, naquela ocasião, que Walcilei estava com descontrole psicológico. “Mas não podemos afirmar que ele tinha problemas psquiátricos ainda, é muito cedo pra isso”, lembrou o delegado.

Já o autor do homicídio, não tinha nenhuma passagem pela polícia e trabalhava como repositor em um mercado da capital.

Jornal Midiamax