Geral

Esperança de reeleição de Sarkozy desmorona, mostram pesquisas

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, defendeu sua política econômica nesta sexta-feira, à medida que pesquisas de opinião sugeriram que suas perspectivas de reeleição estão desmoronando a pouco mais de uma semana do primeiro turno das eleições. O candidato socialista, François Hollande, é claramente o favorito. Uma pesquisa da CSA mostrou Hollande aumentando sua vantagem sobre...

Arquivo Publicado em 13/04/2012, às 11h20

None

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, defendeu sua política econômica nesta sexta-feira, à medida que pesquisas de opinião sugeriram que suas perspectivas de reeleição estão desmoronando a pouco mais de uma semana do primeiro turno das eleições. O candidato socialista, François Hollande, é claramente o favorito.


Uma pesquisa da CSA mostrou Hollande aumentando sua vantagem sobre Sarkozy, cuja melhora modesta nas pesquisas do mês passado está evaporando antes das eleições de dois turnos, nos dias 22 de abril e 6 de maio.


A pesquisa mostrou Hollande vitorioso no turno decisivo de 6 de maio com 57 por cento dos votos, e duas outras pesquisas recentes também sugerem que as chances do socialista se tornar o primeiro presidente de esquerda da França desde François Mitterrand foram reforçadas.


Em seu último confronto, Sarkozy disse que ajudou a França a lidar com a crise econômica ao longo dos últimos quatro anos muito melhor do que países como a Grécia ou a Espanha, e renovou os avisos de turbulência no mercado caso seu rival Hollande seja eleito.


“O que dispara os mercados financeiros e a especulação é quando um país não paga suas dívidas, renega os seus compromissos e embarca em um caminho de gasto considerados maléficos”, disse Sarkozy TV ao canal de notícias i> TELE.


“O senhor Hollande, com a promessa de aumentar a despesa, sem qualquer compromisso com os cortes, está preparando o terreno para um problema de confiança (nos mercados financeiros)”, disse o presidente.


Hollande, que diz ter condições de reduzir o déficit público e também promover emprego e educação com o aumento de impostos sobre os ricos, manteve sua linha em três entrevistas a jornais desta a sexta-feira, dizendo que a austeridade seria auto-destrutiva se não for acompanhada de esforços para promover crescimento econômico na França e na Europa.


“Digo claramente: os mercados financeiros não irão estabelecer a lei na França”, disse ao semanal de negócios La Tribune.


As outras duas pesquisas promissoras para Hollande foram divulgadas pelos institutos BVA e LH2, na quinta-feira.


A pesquisa BVA mostrou Hollande vencendo o 2o turno com 54 por cento, dois pontos acima da sondagem anterior. A pesquisa LH2 deu ao socialista 55 por cento dos votos no turno decisivo.

Jornal Midiamax