Geral

Embrapa: Miranda sedia 17ª Edição de Dia de Campo de Arroz

O “17º Dia de Campo da Fazenda San Francisco” será sediado em Miranda, Mato Grosso do Sul, na próxima sexta-feira, 7 de dezembro. O evento é realizado pela Sementes San Francisco, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Agropecuária Oeste e Associação dos Produtores de Arroz e Irrigantes do MS (APAI-MS). Na Fazenda San Francisco, a Embrapa […]

Arquivo Publicado em 06/12/2012, às 17h15

None
377567623.JPG

O “17º Dia de Campo da Fazenda San Francisco” será sediado em Miranda, Mato Grosso do Sul, na próxima sexta-feira, 7 de dezembro. O evento é realizado pela Sementes San Francisco, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Agropecuária Oeste e Associação dos Produtores de Arroz e Irrigantes do MS (APAI-MS).



Na Fazenda San Francisco, a Embrapa possui experimentos de Valor de Cultivo e Uso (VCU) e, anualmente, mostra suas principais variedades de arroz nesse Dia de Campo, que tem por objetivo discutir os rumos a serem tomados pelo setor produtivo em MS para melhoria da produção.



A programação deste ano, que começa às 8h30 com recepção e inscrição de visitantes, está composta de palestras técnicas e debates sobre arroz irrigado. A abertura está marcada para as 9h, com o proprietário da Fazenda, Roberto Coelho. Em seguida, haverá visita aos campos de produção e VCU de arroz irrigado e apresentação do Diagnóstico da Cultura de Arroz Irrigado em MS, com o analista da Embrapa Arroz e Feijão, Bernardo M. dos Santos, e o engenheiro agrônomo da unidade técnica da Famasul, Leonardo Carlotto Portalete.



Em sua participação, a Embrapa Arroz e Feijão irá apresentar visão mais ampla dos “Diagnósticos da cadeia produtiva do arroz nos Estados”, mostrando qual a sua importância para os elos da cadeia e para a Embrapa. Os estudos estão sendo realizados em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Maranhão, Tocantins e Pará, estados onde a cultura do arroz tem grande importância socioeconômica, porém, vem enfrentando dificuldades. A iniciativa partiu do projeto “Rede Brasil Arroz”, liderado pelo Dr. Carlos Magri, da Embrapa Arroz Feijão, e visa formar redes de transferência de tecnologia, desenvolver a orizicultura nos Estados, aumentar a rentabilidade dos agentes da cadeia produtiva e desconcentrar a produção de arroz no país entre outros objetivos.



O Diagnóstico é construído em conjunto pelos diversos elos da cadeia produtiva do arroz (produtores, consultores, industriais, comerciantes, consumidores, técnicos, vendedores, etc.). Em reuniões periódicas, os integrantes buscam detectar os gargalos e os pontos fortes de cada estado para o desenvolvimento da cultura do arroz e qual a sua relevância dentro do contexto.



Concluídos os trabalhos do diagnóstico, é hora de planejar as futuras ações, sendo imprescindível a mobilização dos integrantes da cadeia, para que se construa um projeto que contemple, em detalhes, as atividades por meio das quais os problemas serão atacados, quando serão as ações, onde e quem irá realizar e quanto custarão essas ações. A Embrapa Arroz e Feijão dará o apoio necessário para elaboração desse planejamento e, conforme a demanda, irá acionar as áreas de Pesquisa ou Transferência de Tecnologia.



O encerramento do Dia de Campo será às 13 horas. Mais informações e confirmação de presença pelo telefone (67) 3321-5166.


Jornal Midiamax