Geral

Em sua despedida da seleção de vôlei, Rodrigão busca terceira medalha olímpica

Medalha de ouro em Atenas/2004 e prata em Pequim/2008, tricampeão mundial e oito vezes vencedor da Liga Mundial pela seleção brasileira de vôlei, Rodrigão encara as Olimpíadas de Londres com um sentimento especial. A competição deverá ser a última do meio de rede com a camisa 14 verde e amarela, que veste desde 1999. “Já […]

Arquivo Publicado em 21/07/2012, às 14h57

None
1737543444.JPG

Medalha de ouro em Atenas/2004 e prata em Pequim/2008, tricampeão mundial e oito vezes vencedor da Liga Mundial pela seleção brasileira de vôlei, Rodrigão encara as Olimpíadas de Londres com um sentimento especial. A competição deverá ser a última do meio de rede com a camisa 14 verde e amarela, que veste desde 1999.


“Já são 13 anos de muitas alegrias e conquistas, mas acho que chegou o momento de passar a bola. No esporte, como na vida, as coisas funcionam assim e uma nova geração está chegando para trazer muitas alegrias para a torcida brasileira. E seria maravilhoso encerrar esse ciclo com mais uma medalha em Londres, principalmente se for a de ouro”, declarou o central de 33 anos de idade.


LUCÃO É O SUCESSOR


Em encontro com a imprensa na tarde desta sexta-feira em Santos, onde reside com a família, Rodrigão comentou sobre a nova safra meios de rede e apontou seu sucessor na seleção.


“O Brasil está muito bem servido nesta função, com jogadores de muita qualidade e vários já experientes. O Lucão é o principal exemplo. Ele é jovem (26 anos), mais alto que eu (2,09 metros) e já ostenta um currículo excelente por clubes e pela seleção. Ele será titular da seleção por muitos anos”, prevê o central de 2,05 metros.


OS RIVAIS PELO OURO


 Antes de rumar para Londres, cujo embarque acontece na noite deste domingo, Rodrigão apontou também os principais rivais da seleção brasileira na luta pelo ouro olímpico.


“A Rússia conta com um grupo fortíssimo, a Polônia vive uma temporada excelente, e vai chegar motivada pela conquista recente da Liga Mundial, e os Estados Unidos sempre fazem uma preparação especial para as Olimpíadas. Acredito que esses três países, junto com o Brasil, são os maiores candidatos para subir ao pódio”, analisou.


A TRAJETÓRIA DO BRASIL


Integrante do grupo B, o Brasil estreia na edição 2012 dos Jogos Olímpicos no domingo da próxima semana, dia 29, diante da Tunísia. Os demais adversários da primeira fase serão a Rússia (dia 31), Estados Unidos (2 de agosto), Sérvia (4) e Alemanha (6). Os quatro primeiros da chave avançam às quartas de final, cujos confrontos serão realizados em 8 de agosto. As semifinais estão previstas para o dia 10, com a grande final e a disputa do bronze acontecendo no dia 12 de agosto.

Jornal Midiamax