Geral

Em noite de golaços, Ponte e Sport apenas empatam e ampliam jejum pela Série A

Um gol anotado a partir de uma assistência de letra, e outro após um belo chute de longa distância. Os golaços marcaram o empate por 1 a 1 entre Ponte Preta e Sport, no Moisés Lucarelli. No entanto, o resultado não foi bom para ninguém. Os dois times completaram três jogos seguidos sem ganhar no […]

Arquivo Publicado em 26/07/2012, às 00h10

None

Um gol anotado a partir de uma assistência de letra, e outro após um belo chute de longa distância. Os golaços marcaram o empate por 1 a 1 entre Ponte Preta e Sport, no Moisés Lucarelli. No entanto, o resultado não foi bom para ninguém. Os dois times completaram três jogos seguidos sem ganhar no Brasileiro.


A Ponte Preta, que também havia falhado em casa no último domingo –perdeu para o Fluminense–, segue estacionada no meio da tabela, agora com 16 pontos. Já o time de Vagner Mancini, que havia sido goleado pelo Atlético-MG na rodada anterior, contabiliza 13 pontos.


Diante desse jejum, as duas equipes entraram em campo até certo ponto pressionadas. O time campineiro não contava com seu principal goleador. Roger, autor de seis gols na Série A, sentiu lesão muscular no treino de terça-feira e acabou sendo vetado. Parecia que não faria falta.


A Ponte começou melhor e, logo aos 5min, abriu o marcador. Rildo, substituto de Roger, deu uma assistência de letra para André Luis bater forte para o fundo da rede. 1 a 0. O Sport, por outro lado, era tímido no ataque. Mesmo assim, chegou ao empate.


Aos 21min, Marquinhos Gabriel recebeu de Willians e acertou uma bomba de fora da área para deixar tudo igual. Um golaço. E quase virou. Aos 30min, Reinaldo tentou tocar por cima de Édson Bastos, mas a bola tocou no goleiro e facilitou a vida da defesa da Ponte. No geral, o jogo foi aberto.


“Precisamos melhorar a marcação porque estamos dando espaços para eles [Ponte Preta]. Vamos conversar para tentar a virada”, declarou Marquinhos Gabriel. “Começamos pressionando. Fizemos um gol e caímos de rendimento”, admitiu André Luis, da Ponte Preta.


A partida voltou equilibrada, e as chances só apareceram a partir da metade do segundo tempo. Do lado do Sport, que teve a estreia de Magno Alves, Gilberto chegou a driblar o goleiro Édson Bastos, mas, quase sem ângulo, bateu para fora. Por outro lado, Magrão fez ao menos três difíceis defesas e evitou a vitória do time campineiro.


Jornal Midiamax