Geral

Dourados está com déficit de militares do Corpo de Bombeiros

A cidade de Dourados tem déficit de militares do Corpo de Bombeiros. São 29 profissionais a menos, entre os anos de 2011 e 2014, que estão com previsão de transferência ou aposentadoria. A informação foi repassada pelos deputados Zé Teixeira (estadual) e Geraldo Resende (federal). Ambos vão intervir junto ao Governo do Estado para buscar […]

Arquivo Publicado em 18/12/2012, às 12h20

None

A cidade de Dourados tem déficit de militares do Corpo de Bombeiros. São 29 profissionais a menos, entre os anos de 2011 e 2014, que estão com previsão de transferência ou aposentadoria. A informação foi repassada pelos deputados Zé Teixeira (estadual) e Geraldo Resende (federal). Ambos vão intervir junto ao Governo do Estado para buscar uma alternativa em relação a esta situação.


Conforme o deputado Zé Teixeira (Dem), os números são alarmantes. Segundo ele, se ampliar o período de análise até o ano de 2006, são 33 profissionais a menos em Dourados. Isto porque enquanto chegaram 40 militares de 2006 a 2012, estão previstos para sair 73 até 2014.


O déficit é comprovado ano a ano, já que saíram mais militares do que entraram. Para se ter uma ideia, no ano de 2008, enquanto um bombeiro foi destinado para Dourados, foram removidos cinco; em 2009 chegou um militar e saíram outros 10, em 2010 chegaram seis e saíram seis; no ano de 2011 chegaram oito militares e saíram 16; em 2012 enquanto chegaram cinco, 12 foram transferidos; outros 14 devem se aposentar até 2014.


Outro motivo de preocupação está nas viaturas da Corporação. De acordo com o deputado federal Geraldo Resende, é de extrema urgência a aquisição de veículos para incêndio. “Para se ter uma ideia, há uma viatura em Dourados com mais de 30 anos. Com este tempo de uso é natural que as peças fiquem desgastadas e o veículo passe boa parte do tempo nas oficinas, enquanto poderia estar nas ruas ajudando a salvar vidas”, destaca, observando que 10% dos atendimentos dos Bombeiros está relacionado aos incêndios.


De acordo com Geraldo Resende, o investimento no efetivo do Corpo de Bombeiros e nos equipamentos é uma forma de se antecipar a problemas e aprimorar os serviços da Corporação, tendo em vista que Dourados, que é a segunda maior cidade do Estado cresce a casa dia. “Hoje quem atua nesta área são os próprios militares. O problema é que diante de emergências há um tempo maior para o profissional que está na faxina ou na cozinha se preparar para o atendimento”, destaca, observando que pretende se reunir com a Secretaria de Segurança Pública do Estado para expor o problema e tentar viabilizar uma saída. “A ideia é tentar destinar no Orçamento Geral da União de 2013 recursos para a compra de uma nova viatura”, explica.


Em relação ao efetivo, o deputado estadual Zé Teixeira pretende se reunir com a bancada de Dourados que inclui também os deputados Laerte Tetila e George Takimoto, para apelar ao governo que destine maior número de profissionais para Dourados nos próximos concursos públicos.


O comandante do Corpo de Bombeiros, Joilson Alves do Amaral, diz que a necessidade de maior efetivo e viatura já foi encaminhada para a Secretaria de Segurança Pública do Estado. “O governador André Puccinelli, que esteve recentemente em Dourados, sinalizou para a abertura de concurso público para atender a demanda do Estado. Portanto, as expectativas são as melhores”, explica.


Segundo ele, o Corpo de Bombeiros atendeu de janeiro a novembro, 267 ocorrências de incêndio; 1.899 salvamentos e 583 auxílios à comunidade, totalizando 2.479. O número de vítimas atendidas em Dourados se aproxima a 1,9 mil.

Jornal Midiamax