Geral

Donos de supermercados vítimas de dupla estelionatária prestam depoimento

Cinco supermercadistas de Campo Grande, que foram vítimas de um grupo envolvido em um esquema de abertura de empresas para fazer empréstimos e obtenção de crediário em lojas de eletrodomésticos, prestam depoimento nesta sexta-feira (27), ao delegado da 6ª Delegacia de Polícia, Walmir Moura Fé. Além de representantes do Extra, Ponto Certo, Casas Bahia, Max […]

Arquivo Publicado em 27/07/2012, às 11h35

None

Cinco supermercadistas de Campo Grande, que foram vítimas de um grupo envolvido em um esquema de abertura de empresas para fazer empréstimos e obtenção de crediário em lojas de eletrodomésticos, prestam depoimento nesta sexta-feira (27), ao delegado da 6ª Delegacia de Polícia, Walmir Moura Fé.


Além de representantes do Extra, Ponto Certo, Casas Bahia, Max Atacadista, segundo o delegado, representantes de associações comerciais também vão argumentar sobre prejuízos.


“Além de eletrodomésticos já recuperados e que serão devolvidos as vítimas, localizados em uma casa que funcionava como depósito no bairro Nova Lima, região norte da cidade, a intenção agora é localizar os veículos financiados em nome de terceiros”, afirma o delegado Moura Fé.


Ao todo, são dois carros financiados, sendo um veículo Corsa e um Citroen, além de quatro motos das marcas Honda e Yamaha. “Os veículos já estão com restrição e serão recuperados”, garante o delegado Moura Fé.


Desde que descoberto, o delegado avalia um prejuízo em R$ 300 mil no comércio de Campo Grande. Na semana passada, mais uma vítima dos estelionatários compareceu a 6ª delegacia, no bairro Tijuca. Ele conta que o suspeito comprou R$ 10 mil em pneus e que era impossível desconfiar. “Tudo é regular nos dados que eles apresentam como sendo das empresas”, disse a vítima na ocasião.


Há seis dias, um borracheiro que possui um comércio na região da Vila Ipiranga e teve prejuízo de R$ 16 mil, conta que o golpista se identificou como Lucas e sendo funcionário da Receita Federal ofereceu 300 pneus novos por R$ 53, cada.


Moura Fé ressaltou que está avaliando a possibilidade de pedir prisão preventiva para os envolvidos. Em entrevista, o delegado lembrou a importância de encerrar as empresas adequadamente, pois muitas pessoas cuidam dessas questões burocráticas e acabam deixando CNPJs limpos, que possibilitam golpes.

Jornal Midiamax