Geral

Dólar atinge maior valor em mais de três anos e Bovespa sobe 1,94%

A cotação do dólar comercial voltou a ter valorização nesta terça-feira (12) e fechou a R$ 2,065 na venda, uma alta de 0,37%. Esta é a maior cotação de fechamento desde 18 de maio de 2009, quando a moeda encerrou a R$ 2,076. Na semana, o dólar acumula alta de 2,02%. No ano, o avanço […]

Arquivo Publicado em 12/06/2012, às 19h41

None

A cotação do dólar comercial voltou a ter valorização nesta terça-feira (12) e fechou a R$ 2,065 na venda, uma alta de 0,37%. Esta é a maior cotação de fechamento desde 18 de maio de 2009, quando a moeda encerrou a R$ 2,076.


Na semana, o dólar acumula alta de 2,02%. No ano, o avanço é de 10,52%.


Após um pregão de muita volatilidade, a Bovespa encerrou os negócios em alta, acompanhando o movimento das principais praças internacionais, embora investidores continuem cautelosos diante da crise da zona do euro e à espera das eleições na Grécia no fim de semana.


O Ibovespa (principal índice da Bovespa) fechou com alta de 1,94%, aos 55.049,03 pontos. Veja ainda no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.


Na semana, a Bolsa acumula desvalorização de 1,14%. No ano, tem prejuízo de 3%.


Bolsas internacionais



Os principais índices europeus fecharam em alta nesta terça-feira, com ganhos nos setores de telecomunicações e mineração levando as Bolsas a reverterem baixas registradas antes na sessão.


Operadores destacaram a evidência de uma realocação de ativos feita por alguns investidores, fugindo do porto seguro das dívidas de governos e seguindo a ações.


Os mercados acionários asiáticos reverteram os fortes ganhos anteriores, com os investidores longe de estarem convencidos de que um resgate aos bancos espanhóis abalados por dívidas irá evitar que a crise se espalhe pela Europa.


Investidores preocupam-se que o acordo do fim de semana pode agravar ainda mais a crescente dívida pública da Espanha, mesmo com as atenções voltadas para problemas na Itália e para as eleições do dia 17 de junho na Grécia, que podem determinar o futuro do bloco do euro.


A média de ações Nikkei, do Japão, recuou mais de 1%, após Wall Street ter uma forte queda em uma liquidação de ações tardia.


Jornal Midiamax