Geral

“Do jeito que está não dá”, esbraveja o palmeirense Marcos Assunção

O volante Marcos Assunção era um dos jogadores do Palmeiras mais inconformados com o empate por 2 a 2 contra o rebaixado Comercial, neste domingo, em pleno estádio do Pacaembu. “Do jeito que está não dá, não tem como chegar em final de campeonato assim. Se não mudar, não vai dar”, desabafou o volante. “Não […]

Arquivo Publicado em 15/04/2012, às 23h50

None

O volante Marcos Assunção era um dos jogadores do Palmeiras mais inconformados com o empate por 2 a 2 contra o rebaixado Comercial, neste domingo, em pleno estádio do Pacaembu.


“Do jeito que está não dá, não tem como chegar em final de campeonato assim. Se não mudar, não vai dar”, desabafou o volante. “Não só por esse jogo, mas pelos anteriores também. Não fizemos boa partidas, não é só por uma que vou falar isso, mas por todos os resultados ruins”, continuou.


A equipe vinha de derrotas para Guarani e Mirassol. Ontem, o time alviverde jogou com dois homens a mais durante quase toda a segunda etapa, mas isso não foi suficiente para conseguir vencer um time que quase não foi a campo em função da reclamação dos atletas por não receberem salários.


A torcida palmeirense não perdoou e gritou “time sem vergonha” após o apito final. “É assim que tem que ser, ficamos o segundo tempo inteiro com dois a mais e não conseguimos transformar isso em vitória. Se jogar assim, não [vence], temos que melhorar muito”, falou.


O Palmeiras se classificou na quinta colocação e vai enfrentar nas quartas de final do Campeonato Paulista o Guarani, quarto colocado, em Campinas.


Um dos objetivos do clube da capital na última rodada era terminar entre os quatro primeiros para jogar em casa na próxima fase. Se vencesse, teria conseguido esse objetivo. Mas ficou nos mesmos 36 pontos que o Guarani, que levou vantagem no número de vitórias.


Jornal Midiamax