Geral

Cursos gratuitos profissionalizantes na Capital ampliam oportunidades das famílias de baixa renda

O cursos profissionalizantes de nível médio em Campo grande vão contribuir para aumentar a oferta de mão de obra qualificada e ampliar as oportunidades das famílias de baixa renda, com incremento da formação profissional. A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania (SAS) abre a pré-inscrição […]

Arquivo Publicado em 27/04/2012, às 11h19

None

O cursos profissionalizantes de nível médio em Campo grande vão contribuir para aumentar a oferta de mão de obra qualificada e ampliar as oportunidades das famílias de baixa renda, com incremento da formação profissional.


A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania (SAS) abre a pré-inscrição para os cursos do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) que poderá ser realizada na sede Funsat (Fundação Social do Trabalho), localizada na avenida Eduardo Elias Zahran, 1.581, Jardim TV Morena, na Capital.


Os cursos, que são gratuitos, na área de indústria começam no dia 23 de abril e na área do comércio no segundo semestre deste ano. O Pronatec é uma iniciativa do Governo Federal que visa ampliar a oferta de vagas na educação profissional e melhorar as condições de inserção no trabalho por meio de cursos profissionalizantes.


Para participar, a pessoa dever ter idade entre 18 e 59 anos, estar cadastrado no Cadastro Único (CadÚnico) integrando algum dos programas sociais federais, entre eles o Bolsa Família. Qualquer membro da família cadastrada poderá se matricular nos cursos, não havendo limite por família. Para efetuar a pré-matrícula são necessários os seguintes documentos: o NIS (Número de Identificação Social) e o CPF (Cadastro de Pessoa Física).


As informações sobre os cursos, carga horária e local onde serão ofertados podem ser obtidas nos CRAS (Centro de Referência de Assistência Social, nos CREAS (Centro de Referência Especializados de Assistência Social) ou na sede da SAS. Indústria e comércio Em Campo Grande foram realizadas parcerias com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) que já mantêm toda uma estrutura para a realização dos cursos profissionalizantes.


Os cursos ofertados na área da indústria somam 128 vagas com cargas horárias que variam de 240 a 540 horas-aula englobando as profissões de costureiro industrial do vestuário (40 vagas), eletricista de automóveis (20 vagas), eletricista instalador predial de baixa tensão (16 vagas), mecânico de manutenção de motocicletas (16 vagas) e mecânico de manutenção de torneiro mecânico (16 vagas). Já na área do comércio e serviço, por meio de parceria com o Senac (Serviço Nacional do Comércio) serão ofertados 12 cursos, totalizando 330 vagas.


Com uma média de 240 horas de carga horária, os cursos profissionalizam nas áreas de garçom, pizzaiolo, administrador de banco de dados, auxiliar administrativo, salgadeiro, auxiliar de pessoal, cuidador de idosos, auxiliar administrativo, recepcionista, porteiro e vigia, camareira em meios de hospedagem e administrador de redes. Além da gratuidade do curso, a pessoa que for selecionada receberá camisetas, alimentação e auxílio transporte de R$ 4,00 diários.


Demanda local


Os cursos em Campo Grande foram escolhidos observando a demanda local. Segundo a secretária da SAS, Nilva Santos os cursos profissionalizantes de nível médio contribuem para aumentar a oferta de mão de obra qualificada e ampliar as oportunidades dos trabalhadores por meio do incremento da formação profissional. “A oferta local está de acordo com a necessidade do mercado”, exemplifica Nilva.


A titular da Sas complementa que a educação profissionalizante vai ser um meio de grande transformação na vida das famílias de baixa renda que passarão a ter perspectiva de ascensão social e de recolocação no mundo do trabalho com mais dignidade. “Com o conhecimento, aumenta o universo de possibilidades e como consequência a melhoria das condições de vida”, conclui.

Jornal Midiamax