Geral

CRF/MS alerta sobre receitas falsas de anabolizantes

O CRF/MS (Conselho Regional de Farmácia do Estado de Mato Grosso do Sul) faz um alerta para as receitas falsificadas de anabolizantes. O Conselho recebeu a denúncia de uma farmacêutica de uma drogaria na região central de Campo Grande, que já recebeu mais de 12 receituários falsos de anabolizantes só neste mês de dezembro. A […]

Arquivo Publicado em 18/12/2012, às 18h57

None

O CRF/MS (Conselho Regional de Farmácia do Estado de Mato Grosso do Sul) faz um alerta para as receitas falsificadas de anabolizantes. O Conselho recebeu a denúncia de uma farmacêutica de uma drogaria na região central de Campo Grande, que já recebeu mais de 12 receituários falsos de anabolizantes só neste mês de dezembro.



A farmacêutica Priscila Alencar Puleo chegou a exemplificar que na última semana foram três tentativas de compra de anabolizantes com receitas falsificadas.



“Consideramos bastante o número de casos para medicamentos que tem muito pouca venda”, diz. O que também chama a atenção para o caso, é que as receitas são de grandes clínicas e hospitais, como Clínica Campo Grande, Proncor, Santa Casa e Hospital Universitário.



O levantamento da própria farmácia aponta que dos três medicamentos comercializados, Durateston, Deca Durabolin e Deposteron, um deles teve venda legal de 17 ampolas no último mês.



“Se eu tenho 12 receitas e cada uma delas são no mínimo, cinco ampolas, a venda legal foi quase 1/3 das receitas”, acrescenta.



Em um caso específico, de uma médica que teve o carimbo furtado no Proncor, o paciente chegou com o receituário e como havia suspeita de ser falso, enquanto a farmácia entrava em contato com a médica, o cliente percebeu a demora em receber o medicamento e foi embora.



“Ele pegou a receita da mão do balconista. Nós não temos como reter a receita, então como não temos provas, vamos entregar as imagens das nossas câmeras para a Polícia investigar”, explica.



A médica que teve o carimbo furtado no Proncor, comunicou ao CRF/MS o furto e o uso indevido. A médica Carmelita Alencar Vilela, relata que esqueceu o carimbo no último dia 2, no hospital Proncor e que desde então, o mesmo vem sendo utilizado em estabelecimentos comerciais para aquisição de hormônios.



Além de comunicar ao CRF/MS, a médica registrou o furto também na Polícia Civil da Capital. A profissional pede ainda para que os estabelecimentos que receberem a receita prescrita em seu nome, que confirmem a veracidade do receituário.



Para o CRF/MS, a denúncia deve ser encarada com seriedade e atenção por parte das farmácias e farmacêuticos responsáveis. “Os compradores normalmente são jovens sem conhecimento dos riscos que essas drogas podem causar ao organismo incentivadas ao uso por criminosos com a promessa da beleza física fácil”, ressalta o presidente do Conselho Ronaldo Abrão.


Jornal Midiamax