Geral

CPMI do Cachoeira não terá reuniões na próxima semana

O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PDMB-PB), informou que o colegiado não terá reuniões na próxima semana, devido à necessidade de participação de deputados e senadores na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, no Rio de Janeiro. Conforme lembrou Vital do Rêgo, o presidente […]

Arquivo Publicado em 15/06/2012, às 19h25

None

O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PDMB-PB), informou que o colegiado não terá reuniões na próxima semana, devido à necessidade de participação de deputados e senadores na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, no Rio de Janeiro. Conforme lembrou Vital do Rêgo, o presidente do Senado, José Sarney, determinou que não haja sessões deliberativas na Casa na próxima semana.


Segundo o presidente da CPMI, os trabalhos da semana serão inteiramente dedicados a investigações e consultas nos documentos e em outros dados que chegam diariamente em grande quantidade à comissão.


Uma das atividades dos integrantes da CPMI, de acordo com Vital do Rêgo, será analisar os dados relativos à quebra de sigilos bancários, fiscais e telefônicos de pessoas ligadas às investigações. Na quinta-feira (14), por exemplo, a CPMI aprovou pedidos de quebra dos sigilos dos governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT).


Documentos da Operação Saint Michel, do Ministério Público do DF, também já estão em poder da CPMI, segundo Vital do Rêgo. Eles poderão facilitar a investigação das atividades em nível nacional da Delta Construções, acusada de participar do esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira.



Oportunidade


“Uma semana sem reuniões plenárias representará uma oportunidade para que os membros da CPMI e seus assessores se debrucem sobre o material recebido e realizem atividades de pesquisa e investigação documental, tarefas essenciais para o sucesso do inquérito parlamentar”, disse Vital do Rêgo.


Por isso, segundo ele, não haverá nenhum prejuízo aos trabalhos da CPMI, que “estará concentrada em outras atividades indispensáveis, que não os depoimentos e inquirições”.


Durante a próxima semana, será elaborada a pauta das reuniões seguintes. A CPMI já aprovou a convocação de mais de quarenta testemunhas e indiciados.



Jornal Midiamax