Geral

Corumbá: Ruiter vota confiante e fala sobre seu futuro político

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) votou na escola municipal Pedro Paulo de Medeiros, na rua América, por volta das quatro horas da tarde. Ele manifestou confiança no resultado da eleição com a continuidade de um trabalho que vem sendo desenvolvido por seu grupo e disse que iria esperar a totalização dos votos em […]

Arquivo Publicado em 07/10/2012, às 20h06

None

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) votou na escola municipal Pedro Paulo de Medeiros, na rua América, por volta das quatro horas da tarde. Ele manifestou confiança no resultado da eleição com a continuidade de um trabalho que vem sendo desenvolvido por seu grupo e disse que iria esperar a totalização dos votos em sua casa.



Depois de duas eleições, pela primeira vez Ruiter não deu o voto a si mesmo. “Eu até senti falta de alguém nessa relação”, brincou, complementando que “está feito o processo, cumprida a missão e agora é passar para outro (prefeito) desempenhar o seu papel frente à nossa municipalidade, isso é que é importante”.



Sobre o direito concedido pela democracia, do voto direto, o prefeito de Corumbá disse acreditar no avanço do regime e no engrandecimento eleitoral. “O eleitor está mais maduro, mais consciente. Ele está se fiando muito nas propostas, escolhendo aquelas pessoas que podem contribuir para melhorar o seu bairro, a sua comunidade e a sua cidade. Esse é o papel do eleitor e ele tem demonstrado que está pautando a escolha nos candidatos que apresentam as melhores propostas”, disse.



Para Ruiter, Corumbá deve seguir a tendência nacional apontada pelas pesquisas de opinião. “Corumbá não vai ser diferente, assim como no país todo e devemos ter mais uma vez o nosso projeto vencedor para que possamos dar continuidade ao trabalho de desenvolvimento que a gente tem implementado aqui em nosso município já há quase oito anos”, afirmou.



Sobre seu futuro político, Ruiter não quis confirmar uma possível candidatura à Assembleia Estadual ou à Câmara Federal em 2014, como vem sendo cogitado e disse também que questiona a política como profissão. “A política tem que escolher aqueles que de fato possam estar contribuindo para o município. Se na época oportuna o meu nome for lembrado para alguma missão que eu possa ainda ajudar, eu me coloco à disposição sim, mas fruto de discussão, fruto de entendimento. Eu acho que nós temos que ver aqueles que melhor possam estar representando a cidade e, eu sempre defendi e vou continuar defendendo essa bandeira”, concluiu.


Jornal Midiamax