Geral

Corpo de sexta vítima de desabamento é encontrado no Rio; 20 pessoas estão desaparecidas

O corpo de mais uma mulher foi encontrado por volta das 3h desta sexta-feira (27) em meio aos escombros dos três prédios que desabaram no centro do Rio de Janeiro na quarta-feira (25), segundo o Corpo de Bombeiros. Até o final da noite de ontem, os corpos de três homens e duas mulheres haviam sido […]

Arquivo Publicado em 27/01/2012, às 10h49

None

O corpo de mais uma mulher foi encontrado por volta das 3h desta sexta-feira (27) em meio aos escombros dos três prédios que desabaram no centro do Rio de Janeiro na quarta-feira (25), segundo o Corpo de Bombeiros. Até o final da noite de ontem, os corpos de três homens e duas mulheres haviam sido resgatados. Com este, sobe para seis o número de mortos no acidente. Ainda há 20 desaparecidos.

O corpo das vítimas foi encaminhado para o Instituto Médico Legal para identificação. Até as 5h30, quatro corpos haviam sido identificados –três homens e uma mulher. Cornélio Ribeiro Lopes, 73, porteiro do Edifício Liberdade, onde morava com a mulher, Margarida Vieira de Carvalho, que está desaparecida, e Celso Renato Braga Cabral, 44, cujo enterro ocorrerá nesta manhã, em Niterói, região metropolitana do Rio, foram os nomes divulgados até o momento.

As equipes de socorro, comandadas pelo Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros com o apoio da Defesa Civil e da Polícia Militar, intensificarão hoje o trabalho de busca por mais vítimas. Cães farejadores ajudam nos resgates. As dificuldades, segundo os bombeiros, são geradas principalmente pela nuvem de poeira que ainda é intensa no local. (Com Agência Brasil).

A expectativa é a de que todos os escombros sejam retirados até o começo da próxima semana.


Nós continuamos com o foco naquilo que é o mais relevante que são as vidas humanas que sofrem nesse momento. A prioridade agora é facilitar o trabalho do Corpo de Bombeiros. Queremos que eles tenham totais condições de desempenhar suas funções sem que haja risco para esses profissionais”, disse o prefeito da cidade, Eduardo Paes.


Cerca de 30 caminhões da prefeitura deslocados para o trabalho já levaram mais de 15 mil toneladas de destroços do local, o que corresponde a cerca de 30% do total. Todo o material está sendo levado para um depósito municipal situado na zona portuária, e posteriormente para o aterro de Gramacho, na Baixada Fluminense.


 Os acessos a cinco prédios da rua Treze de Maio estão totalmente bloquados –a situação só será normalizada na segunda-feira (30). A prefeitura afirma que não há “qualquer tipo de risco estrutural” para esses imóveis, mas as interdições foram determinadas por questão de prevenção.

Luto e vítimas

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), decretou luto oficial de três dias no Estado em memória das vítimas. O decreto será publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (27), segundo nota oficial do governo.


Todos os feridos atendidos na rede pública de saúde já receberam alta, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde.

Cinco feridos foram encaminhados ao hospital municipal Souza Aguiar. Quatro deles foram atendidos entre ontem e hoje e já foram para casa: um homem que sofreu apenas escoriações leves; Alexandro Santos, 31, que estava dentro de um dos elevadores do edifício Liberdade e conseguiu ser resgatado após entrar em contato com um amigo pelo celular; um homem de 50 anos, com ferimentos na perna e lesão na córnea; e um homem de 37 anos, com dores abdominais.

A quinta vítima atendida, uma mulher de 28 anos, sofreu um corte na cabeça e passou por cirurgia no hospital. Durante a tarde ela foi transferida, com quadro estável, para a clínica particular Casa de Portugal –procurada pela reportagem, a assessoria da unidade hospitalar disse que não está autorizada pela família a dar informações sobre a vítima.


 Um sexto ferido, uma mulher de 48 anos com escoriações superficiais, foi atendido no hospital Getúlio Vargas, mas já foi liberada, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Explosão por gás é pouco provável

Questionado sobre as possíveis causas do desabamento em série, Paes afirmou que ainda não é possível dar “respostas definitivas”, porém descartou totalmente a hipótese de explosão. “A possibilidade de explosão é quase igual a zero, sendo o zero por minha conta”, disse.


 “Estamos compilando as informações fornecidas pelos profissionais que estiveram no local, e tudo será checado antes de que tenhamos uma resposta definitiva. Ninguém sabe responder ainda se foi por dano estrutural ou algo do tipo. São várias hipóteses que serão estudadas e analisadas”, afirmou.

Jornal Midiamax