Geral

Corinthians decide no primeiro tempo e larga na frente do Santos

O Corinthians saiu na frente do Santos na briga por uma vaga na grande final da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, o Timão conseguiu dominar o Peixe no primeiro tempo e soube administrar a vantagem com um jogador a menos no segundo para sair da Vila Belmiro com uma vitória por 1 a 0 na bagagem. […]

Arquivo Publicado em 14/06/2012, às 12h09

None

O Corinthians saiu na frente do Santos na briga por uma vaga na grande final da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, o Timão conseguiu dominar o Peixe no primeiro tempo e soube administrar a vantagem com um jogador a menos no segundo para sair da Vila Belmiro com uma vitória por 1 a 0 na bagagem.


O gol que definiu o placar da partida foi marcado pelo corintiano Emerson, aos 27 minutos do primeiro tempo. O atacante recebeu passe pela esquerda após boa jogada individual de Paulinho e colocou a bola no ângulo do goleiro Rafael, sem qualquer chance de defesa para o camisa 01 do Peixe.


A partida ainda seria marcada por alguns incidentes entre torcedores e policiais e pela expulsão de Emerson durante a etapa complementar. Uma queda de energia na Vila Belmiro ainda atrasaria o jogo em 17 minutos, mas não atrapalharia o rendimento do Corinthians nos instantes finais.


O confronto que definirá o finalista brasileiro na Copa Libertadores será disputado na próxima quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no Pacaembu. O Corinthians terá a vantagem de empatar a partida dentro de casa, enquanto o Santos precisará derrotar a equipe por mais de um gol de diferença. Caso o placar da partida desta quarta se repita, a decisão irá para os pênaltis.


O vencedor do próximo confronto enfrentará na final o vencedor de Boca Juniors e Universidad de Chile. As duas equipes irão duelar pela primeira vez nesta quinta-feira, em duelo marcado para as 20h15 (de Brasília), em La Bombonera.


O Jogo – Embora o mando de campo fosse do Santos, o Corinthians foi soberano durante toda a primeira etapa de jogo. O time começou com uma forte marcação no meio-campo e passou a envolver a marcação do Peixe com toques rápidos na intermediária, anulando qualquer tentativa do atacante Neymar mais à frente.


Sem conseguir se encontrar na partida, o Santos viu em uma bola parada a chance de abrir o marcador. Aos sete minutos, Elano cobrou a falta sofrida por Ganso na entrada da área, mas Cássio apareceu bem e segurou sem qualquer problema. Já o Timão tentou responder com o volante Paulinho, em boa tabela feita na entrada da área, só que o jogador foi ao chão e não conseguiu superar o bloqueio montado pelos donos da casa.


Emerson Sheik ainda tentaria chamar a responsabilidade para si e chutar de fora da área aos 14 minutos, mas o tiro acabou saindo à esquerda do goleiro Rafael. Enquanto o camisa 01 do Santos apenas acompanhava as finalizações sem direção do Corinthians, Cássio sofria no outro lado com lasers direcionados aos seus olhos. O arqueiro reclamou com o árbitro em um momento da partida e teve um copo de água atirado em sua direção.


Mesmo sem conseguir assustar o goleiro santista, o Corinthians dominava o meio-campo e continuava pressionando seu adversário no campo ofensivo. A atuação segura de sua zaga impedia os seguidos cruzamentos de Elano e Neymar de ameaçar Cássio, enquanto Alex e Paulinho tabelavam bem na entrada da área.


E foi em uma jogada trabalhada pela dupla que os visitantes conseguiram abrir o placar. Aos 27 minutos de jogo, Alex lançou Paulinho no ataque. Livre de marcação, o volante avançou em direção à área e viu Emerson sozinho na ponta esquerda. O volante deu belo passe para Sheik, que ajeitou a bola e encontrou o ângulo de Rafael.


A vantagem fez com que o Corinthians recuasse nos minutos finais do primeiro tempo, dando mais espaços para que o Santos chegasse ao ataque. Apesar da liberdade encontrada inicialmente, o Peixe não conseguiu aproveitar a nova mentalidade adotada por seu adversário e pecou em todas as vezes que tentou alçar o esférico dentro da área.


O único lance de perigo criado pela equipe surgiu de uma bela jogada individual do volante Adriano na esquerda. O jogador limpou Fábio Santos com um bonito drible e encontrou Alan Kardec no centro da área. O atacante finalizou em direção ao gol, mas o lateral esquerdo do Timão se recuperou e conseguiu se colocar na trajetória da bola. No rebote, Elano tentou a conclusão e novamente acertou a marcação adversária.


O Corinthians ainda reclamaria de um pênalti antes do término da etapa inicial. Emerson tentou partir com a bola pela esquerda e foi ao chão após desarme de Henrique. O atacante chegou a argumentar com o árbitro que havia sido empurrado pelo lateral santista, mas o brasileiro Marcelo de Lima Henrique ignorou e mandou Rafael cobrar o tiro de meta normalmente.


Na volta do intervalo, o Santos procurou mais o jogo que o Corinthians e conseguiu levar perigo já nos primeiros minutos da partida. Aos quatro minutos, Paulo Henrique Ganso de belo passe pelo alto para Juan. O lateral ajeitou para Borges na entrada da área, mas o chute do atacante acabou nas mãos do goleiro Cássio. No escanteio cobrado em sequência a este lance, Neymar lançou Durval no segundo pau. O zagueiro chutou para o gol e exigiu grande defesa de Cássio para evitar o empate santista.


Melhor em campo, o Santos teria outra grande chance de igualar o marcador. Aos 10 minutos, Juan recebeu de Ganso na intermediária e fez longo lançamento para dentro da área. Alan Kardec subiu mais alto que o defensor do Corinthians e ajeitou de cabeça para Borges. O centroavante do Peixe tentou encobrir Cássio com uma cabeçada, mas o goleiro se recuperou e espalmou por cima de seu gol.


O Corinthians voltaria a reclamar de um pênalti em seguida. Após investida fracassada do Santos no ataque, Emerson recebeu no meio-campo e partiu livre de marcação em direção ao gol de Rafael. No combate homem a homem, o atleta foi ao chão e alegou ter sido empurrado novamente dentro da área. Marcelo de Lima Henrique mais uma vez não viu irregularidade no lance e mandou o jogo seguir normalmente.


Sem sucesso pelo chão, o Santos continuava tentando pelo alto e não encontrava meios de superar Cássio. A equipe conseguiu ameaçar novamente apenas aos 26 minutos, quando Neymar levantou para dentro da área e Leandro Castán desviou para trás. Seguro, Cássio pulou no canto e praticou a defesa sem dar rebote.


Com raras chances de gol na partida, os dois times se irritaram e protagonizaram incidentes que marcariam os minutos finais da partida de forma negativa. Aos 29 minutos, Neymar entrou duro em uma dividida com Leandro Castán e gerou a revolta dos corintianos por só receber o cartão amarelo. Já aos 31, Emerson entrou de carrinho em Neymar no campo ofensivo do Corinthians e recebeu o segundo amarelo do árbitro, acarretando na sua expulsão.


Com um a mais , o Santos cresceu em campo e buscou o ataque para igualar o marcador. O time chegou com perigo aos 34 minutos, em cruzamento rasteiro de Alan Kardec. Se não fosse um desvio corintiano no meio do caminho, a bola ficaria limpa para que Borges ou Neymar completassem para o fundo das redes adversárias.


No escanteio seguido desta jogada, Neymar cruzou e a zaga corintiana afastou mal. O lateral Juan aproveitou a sobra e chutou forte, no alto. O goleiro Cássio mais uma vez se esticou todo e espalmou para fora. O escanteio seguinte não foi aproveitado pelo Peixe e deixou a irritação da torcida estampada em uma atitude na cobrança de tiro de meta. Aos 36 minutos, Cássio pegou a bola na linha de fundo e quase foi atingido por um capacete de um policial. As autoridades agiram rápido, mas não conseguiram prender o responsável pelo incidente.


No minuto seguinte, a Vila Belmiro enfrentou um problema de infraestrutura e ficou sem luz em seus refletores. Impossibilitado de autorizar a continuação da partida, o árbitro paralisou o confronto até os problemas serem resolvidos. Após 17 minutos, a organização conseguiu restabelecer a energia e permitiu o prosseguimento do segundo tempo de jogo.


O Santos tentaria em vão buscar o jogo nos minutos que restavam. O time acionava Neymar constantemente, mas a marcação dupla que foi colocada em cima do atacante impediu seu avanço no ataque. Tite ainda colocaria Wallace para reforçar o setor defensivo de sua equipe e contaria com Cássio aos 43 minutos para salvar o Corinthians em cruzamento que acharia a cabeça de Ganso na entrada da área.

Jornal Midiamax