Geral

Convênios médicos discutem com Santa Casa retomada de atendimento pediátrico no Prontomed

Desde o dia 1° de março, o Prontomed da Santa Casa está fechado para atendimento pediátrico. Pacientes conveniados estão sem o atendimento infantil no local

Arquivo Publicado em 06/03/2012, às 21h26

None
332737852.jpg

Desde o dia 1° de março, o Prontomed da Santa Casa está fechado para atendimento pediátrico. Pacientes conveniados estão sem o atendimento infantil no local

Na tarde desta terça-feira (6), o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, da Servimed, Cézar Galhardo e o gerente de assistência à saúde da Unimed, Celso Gasques, estiveram reunidos com o presidente da Junta Interventora da Santa Casa, Issam Moussa, para encontrar uma forma de regularizar os atendimentos médicos pediátricos por convênio no hospital.


Desde o dia 1° de março, o Prontomed da Santa Casa está fechado para atendimento pediátrico. Pacientes conveniados, desde então, não têm mais o atendimento especializado para crianças no local.


Diante desse quadro, Ayache disse que eles estão iniciando a conversação para que Cassems, Servimed e Unimed façam um trabalho conjunto com a Santa Casa. Segundo o presidente da Cassems, eles estão estudando uma parceria que envolveria todos os atendimentos de convênios no hospital.


“Nós iniciamos essa conversa hoje e na quinta-feira (8) pela manhã teremos outra reunião para que possamos formatar esse projeto. Acreditamos sair daqui com uma solução de curto, médio e longo prazo para que possamos ter em Campo Grande a Santa Casa como grande referência dos convênios”.


Segundo ele, a Santa Casa apresentou aos convênios os custos que o hospital tem com o Prontomed. Agora, os convênios vão estudar as necessidades e custos para se manterem dentro do hospital e assim apresentar na quinta-feira uma proposta consensual entre todos os envolvidas. “Por enquanto não há uma proposta formatada”, frisou.


César Galhardo, da Servimed, disse que o grupo se reúne novamente amanhã para definir a proposta para apresentar a Santa Casa e assim dar continuidade ao atendimento.


Ayache ainda apontou a importância do hospital para a saúde no estado. “Nós entendemos a Santa Casa como um hospital fundamental para a saúde, não apenas para os beneficiados de convênios, como para todo o Mato Grosso do Sul. É o hospital de maior complexidade no estado”.


“O que pudermos contribuir, vamos contribuir. Mas dentro da realidade financeira dos planos de saúde”, salientou.


Celso Gasques, da Unimed, disse que eles vão avaliar os custos apresentado amanhã e vão tentar viabilizar todos os prontos atendimentos. Ainda segundo ele, os três planos [Cassems, Servimed e Unimed] representam quase que a totalidade dos atendimentos privados na Santa Casa. Por isso, eles querem encontrar o caminho para a manutenção do serviço.


Sobre a falta de pediatras para atendimento, Ayache disse que existe um grupo de médicos que já trabalhou na Santa Casa está disposto a voltar para o hospital. Segundo ele, pode haver contrapartida salarial para manter os profissionais.


A assessoria de imprensa da Santa Casa informou que ainda não conversou com a diretoria e vai se manifestar sobre a reunião nesta quarta-feira (7).

Jornal Midiamax