Geral

Congresso de Ginecologia aborda desafios diários da profissão

Participam 242 ginecologistas e obstetras de todo o Estado, além de enfermeiros e estudantes de medicina

Arquivo Publicado em 27/07/2012, às 19h45

None
591390481.jpg

Participam 242 ginecologistas e obstetras de todo o Estado, além de enfermeiros e estudantes de medicina

Esta sendo realizado em Campo Grande o 27º Congresso de Ginecologia a Obstetrícia com o intuito de debater os desafios diários enfrentados por esses profissionais. A comissão científica do evento elencou os principais temas com o intuito de promover uma programação focada em melhorar o atendimento à saúde da mulher. A presidente da Sogomat-Sul, (Sociedade de ginecologia e Obstetrícia do Estado), Maria Auxiliadora Budib, explicou que os desafios enfrentados na área da ginecologia e obstetrícia são diversos.

“É um desafio quando o médico se trava nele mesmo e não passa sua preocupações para a paciente na tentativa de poupá-la, outro desafio é combater a gestação precoce, criar um planejamento familiar democrático, tratar paciente da menopausa desde sua adolescência com atividade saudáveis, exercícios físicos e boa alimentação para diminuir o risco de osteoporose, diabetes; na gravidez o nosso grande desafio é trazer crianças cada vez mais fortes, criar vinculo com a família, fazer a humanização do parto. Já no caso de câncer os desafios são diagnostico precoce e prevenção primária, entre diversos outros”, explicou.

Para o médico ginecologista e obstetra, Alexandre Marchini Caneva, da cidade de Jardim, o congresso traz muitas abordagens inovadoras. “Tem bastante coisa inovadora, abordagens novas e isso auxilia a gente a estar sempre se reciclando, o que é primordial na nossa profissão”, destacou.

A enfermeira Renata Marçal Sacai, que veio de Ponta Porã para participar do congresso, disse que apesar dos muitos aspectos da área médica que são abordados, tem bastante informação para quem compõem a equipe multidisciplinar. Já para a estudante de medicina de Dourados, Heliana Beatriz Barbosa, “o mais interessante estão sendo os temas mais voltados para a rede púbica de saúde, que é a realidade enfrentada pelo profissional hoje e pela população brasileira”.

Ferramenta interativa incentiva participações

De acordo com a presidente do Congresso, o uso de uma ferramenta interativa, que proporciona a participação de quem assiste no desenrolar dos temas, tem sido a grande responsável por 100% de assiduidade dos inscritos. Maria Auxiliador contou que durante a apresentação de casos, nas mesas redondas, é possível escolher alternativas e votar por meio de um painel eletrônico.

“No ano passado fizemos com 50% de participação dos congressistas e nesse ano já é 100%. Essa ferramenta é uma maneira dinâmica de participação e com certeza tem contribuído muito. Tem bastante gente que erra, mas muito mais que acerta. O que nós temos visto é que nosso médicos estão super bem preparados. Além do que essa auto avaliação estimula a pessoa a estudar cada vez mais”, afirmou.

Jornal Midiamax