Geral

Comunidade internacional reagirá, caso Síria use armas químicas

 O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico do Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, disse hoje (4) que o uso de armas químicas pela Síria provocará “uma resposta internacional imediata”. Para a Otan, há ameaça à população civil. Rasmussen mencionou a possibilidade de reação no momento em que há suspeitas de que o governo do […]

Arquivo Publicado em 04/12/2012, às 19h46

None

 O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico do Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, disse hoje (4) que o uso de armas químicas pela Síria provocará “uma resposta internacional imediata”. Para a Otan, há ameaça à população civil. Rasmussen mencionou a possibilidade de reação no momento em que há suspeitas de que o governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, mantém estoque de armas químicas para uso em combate. O governo da Síria, entretanto, nega a possibilidade de lançar armas químicas contra a população.


Em Washington, especialistas dizem que os serviços de informação identificaram a movimentação na Síria de componentes de armas químicas nos últimos dias. No mês passado, o ministro dos Negócios Estrangeiros sírio, Walid Mouallem, acusou o governo norte-americano de preparar um golpe contra Assad utilizando armas químicas.


Nos Estados Unidos, as informações são que o governo da Síria dispõe de estoques de armas químicas, desde os anos 1970, reunindo centenas de toneladas. No final de julho, pela primeira vez, o governo Assad reconheceu a posse de armas químicas e ameaçou usá-las em caso de intervenção militar estrangeira. Porém, negou o uso contra a população Síria.


Rasmussen fez o alerta durante um encontro da Otan ao fim do qual se espera a aprovação de uma solicitação da Turquia de operar um interceptor de mísseis para conter qualquer ameaça vinda da Síria por intermédio da região fronteiriça.

Jornal Midiamax