Geral

Comerciantes e moradores reclamam de onda de assaltos e roubos em Campo Grande

No sábado, 25, supermercado que fica na avenida mais movimentada do bairro Mata do Jacinto foi alvo de roubo, Na ação, dupla levou aproximadamente R$ 20 mil.

Arquivo Publicado em 28/08/2012, às 01h54

None
1529985922.png

No sábado, 25, supermercado que fica na avenida mais movimentada do bairro Mata do Jacinto foi alvo de roubo, Na ação, dupla levou aproximadamente R$ 20 mil.

Assaltos e roubos que totalizam 20 só no mês de agosto no bairro Mata do Jacinto e região, em Campo Grande, estão tirando o sossego de moradores e também comerciantes. A reclamação é que até pedestres estão sendo abordados e seus pertences levados.

Um dos casos mais recentes de roubo aconteceu no último sábado, por volta das 14h, quando dois homens entraram em um grande supermercado e abordaram a filha do proprietário que estava no escritório. O gerente viu a movimentação estranha no piso superior, foi até lá e acabou sendo rendido também.

Os dois homens não usaram capuz para cometer o roubo. Eles levaram aproximadamente R$ 20 mil que estavam nas gavetas do escritório. O montante era da movimentação para pagar fornecedores e já um pouco da reserva para pagar funcionários no início do próximo mês.

O proprietário do estabelecimento roubado no sábado, que também é presidente do Sindicato dos Supermercadistas de Campo Grande, Adeílton do Prado conta que tem o supermercado há 30 anos e esta foi a primeira ação nesse ano, mas outras cinco já aconteceram em anos anteriores. “O dinheiro faz falta até porque estamos fazendo uma grande reforma, mas o que mais preocupa nesse momento é o trauma psicológico que minha filha ficou e tem o funcionário também”, diz.

A poucas quadras do supermercado trabalha uma família inteira em uma farmácia: pai, mãe e filhos se dividem em diferentes funções. Na semana passada dois homens roubaram o dinheiro do caixa, pertences pessoais dos funcionários como carteiras e produtos do estabelecimento como chocolates.

“É triste saber que a gente trabalha honestamente, paga impostos e vem pessoas desta natureza e humilham a família da gente e os funcionários que estão trabalhando”, diz o proprietário da farmácia que prefere não se identificar por temer a volta dos assaltantes como represália.

O dono da farmácia roubada tem uma tese não comprovada, mas que chama bastante a atenção. Por conta da greve do funcionalismo público federal como, por exemplo, a polícia federal, a fronteira com países vizinhos está bastante vulnerável, o que pode ser um indício de que o dinheiro roubado pode estar sendo usado para trazer drogas e armas, pela fragilidade na fiscalização. “O governo federal já devia ter dado logo o aumento para este pessoal voltar a trabalhar”, defende.

Em julho um funcionário de uma pizzaria que fica próxima à farmácia roubada foi rendido quando se preparava para ir embora quando sua moto foi levada. Os assaltantes deixaram outra motocicleta no lugar da que levaram. Pouco tempo depois a motocicleta foi encontrada em poder de assaltantes que cometeram roubo a uma distribuidora de água mineral no bairro Monte Castelo.

De acordo com levantamento obtido pelo Midiamax, no mês de agosto foram praticados oito assaltos em via pública e outros 12 contra pontos comerciais. A ação vem ocorrendo com mais intensidade no bairro Mata do Jacinto, mas também há registros no Novos Estados, Estrela Dava, Margarida, Nova Bahia e Montevidéu.

Jornal Midiamax